Segurança das crianças durante o Carnaval

Carnaval costuma ser um período de muita alegria e disposição, que contagia a vida de adultos e crianças. No entanto, os pais precisam ficar atentos aos pequenos, que ainda não são capazes de avaliar o risco. Lugares aglomerados, alimentação fora do horário e diferenciada, uso de fantasias e produtos na pele são situações que aparentemente não apresentam ameaças, mas podem ser perigosas.

Veja as dicas da pediatra do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Marlene Assumpção para a semana de folia.

IFF/Fiocruz: A partir de que idade as crianças podem ser fantasiadas, inclusive usando maquiagem?

Marlene Assumpção: Elas podem ser fantasiadas, de preferência, após os dois anos. O lúdico faz parte da vida da criança e deve ser estimulado. É importante usar fantasias leves, calçados confortáveis, de preferência tênis, para proteger melhor os pés de possíveis lesões. A maquiagem deve ser evitada, pois os pequenos possuem a pele sensível e podem apresentar alergias.

IFF/Fiocruz: O som alto afeta a audição das crianças?

Marlene Assumpção: É importante evitar que as crianças se aproximem do sistema de som, pois pode haver prejuízo para audição.

IFF/Fiocruz: Quais os cuidados necessários para proteger os bebês das consequências da grande exposição ao sol?

Marlene Assumpção: O uso de protetor solar está indicado. Preferir roupas frescas, ficar à sombra, usar chapéus e não esquecer de oferecer líquidos, principalmente água.

IFF/Fiocruz: Como deve ser a alimentação nesse período?

Marlene Assumpção: É necessário que a criança beba bastante água e sucos naturais, para se manter sempre bem hidratada na hora das brincadeiras e deve-se evitar alimentos gordurosos. Oferecer, de preferência, frutas.

IFF/Fiocruz: Como deve ser a segurança das crianças no carnaval?

Marlene Assumpção: Os pais devem evitar festas superlotadas ou locais com aglomerações de pessoas, porque as crianças podem se perder com facilidade e devem manter constante vigilância; utilizar pulseiras de identificação com dados referentes à criança: nome completo, nome do responsável por ela no evento, número do telefone celular do adulto e endereço da residência da criança. Não deixar as crianças aos cuidados de estranhos e usar repelentes e protetor solar FPS 30 ou mais.

Suely Amarante
IFF/Fioruz)

Pin It