Programa que será exibido na TV Cultura mostra o trabalho de cientistas que analisam a propagação das ondas de choque no interior da Terra (SP Pesquisa)

Programa que será exibido na TV Cultura mostra o trabalho de cientistas que analisam a propagação das ondas de choque no interior da Terra

O próximo programa SP Pesquisa, que será exibido pela TV Cultura no sábado (09/05), vai mostrar como são feitos os estudos sobre as movimentações na crosta do Brasil. O fato, pouco conhecido no dia a dia dos brasileiros, ocorre com mais frequência do que se imagina.

Diferentemente dos grandes terremotos, comuns em países como Japão e Chile, os abalos sísmicos na crosta brasileira são muito menores, quase sempre imperceptíveis, mas não escapam aos registros de pesquisadores interessados em conhecer melhor esse fenômeno natural.

Para tratar do assunto, o SP Pesquisa conversou com uma equipe de geofísicos que realizou explosões em vários pontos do Estado de São Paulo, a fim de medir a espessura da crosta brasileira. Para isso, eles lançaram mão de uma técnica que analisa a propagação das ondas de choque no interior da Terra.

Para explicar a técnica e mostrar os seus resultados, o programa acompanhou a instalação dos instrumentos de medida e uma das explosões realizadas para a pesquisa.

O esforço integra um estudo realizado no Instituto de Geociências da Universidade de Brasília (UnB) para explicar os tremores de terra existentes no Brasil.

De acordo com uma das investigações apresentadas no programa, feita no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP), existe uma correlação entre a sismicidade brasileira e o excesso de massa no interior da crosta.

Isso quer dizer que em áreas de crosta mais fina há maior interface entre a crosta e o manto, que é mais denso. Assim, os pesquisadores constataram que as tensões criadas durante essa interface podem ser suficientes para induzir tremores de terra. O programa explica por que e como isso ocorre. 

O SP Pesquisa é resultado de um termo de cooperação assinado entre a FAPESP e a Fundação Padre Anchieta, responsável pela TV Cultura. Foram produzidos 26 episódios, que apresentam os bastidores da produção científica paulista em diversas áreas do conhecimento.

Na TV Cultura, o programa vai ao ar aos sábados, às 16h. A Univesp TV exibe reprise aos domingos (19h) e quintas-feiras (21h30).

Os canais que transmitem a TV Cultura nos municípios paulistas são informados em www2.tvcultura.com.br/fpa/institucional/informacoestecnicas.aspx. Mais informações em univesptv.cmais.com.br.

O SP Pesquisa já abordou diversos temas, como "Ornitologia", "Grafeno", "A origem do homem americano", "O Riso", "Mistérios do oceano" e "Microbiotaintestinal". Os programas já exibidos podem ser vistos no canal da Univesp TV no YouTube, em www.youtube.com/playlist?list=PLxI8Can9yAHejLuVxqSHSbXwSBqEk1Bzq.

Agência FAPESP

Pin It