sorriso

O próximo domingo (07/04) é o Dia Mundial da Saúde e a celebração dessa importante data é, sobretudo, uma grande oportunidade para sensibilizar e conscientizar a população sobre os cuidados necessários para a prevenção de doenças e manutenção da saúde. Conheça a seguir sete sugestões que o CROSP preparou voltadas à saúde bucal.

O uso da prótese dentária, total ou parcial, é uma necessidade de grande parcela da população. O levantamento mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentado em 2015, apontou que 50% dos adultos possuem apenas 20 ou menos dentes funcionais na boca. Para os especialistas do CROSP, entretanto, esse cenário pode ser mudado a partir de medidas preventivas, capazes de garantir resultados eficientes e de longa duração, evitando que população precise extrair dentes por falta de acesso odontológico ou negligência com a saúde. Confira a seguir sete recomendações do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) em prol da saúde bucal da população:

1 - Consulte regularmente o(a) cirurgião(ã)-dentista
Uma das medidas mais importantes para manter a saúde bucal é consultar o(a) cirurgião-dentista com regularidade. “Muitos problemas bucais podem ser prevenidos ou resolvidos com terapias simples, menos invasivas e de menor custo quando se consulta o profissional com frequência”, aponta Sofia Takeda Uemura, odontopediatra e conselheira do CROSP.
De acordo com Uemura, a ida ao consultório deve ser realizada mesmo quando não há sinal aparente de problemas. Alguns indícios de doença são silenciosos e somente um profissional capacitado consegue identificá-los. Vale ressaltar que a periodicidade das consultas será determinada pelo(a) cirurgião(ã)-dentista, de acordo com as especificidades de cada caso.

Ela aponta que gestantes devem fazer o pré-natal odontológico e que após o nascimento do bebê a recomendação é consultar o odontopediatra, mesmo antes do início da dentição.

2- Escolha corretamente os produtos de higiene bucal
Escova, creme e fio dental são os protagonistas da higiene bucal. Mas, como há muitas versões e variações desses produtos no mercado, é importante saber escolher os mais indicados. Em casos de dúvidas, a recomendação é recorrer ao(a) cirurgião(ã)-dentista para que ele possa fazer a indicação dos itens de higiene bucal adequados, além de atentar para alguns cuidados simples como a pressão exercida durante a escovação.

“Em geral, a escova dental mais adequada é a extra macia, com a cabeça pequena, possibilitando que alcance todas as faces de todos os dentes. O creme dental deve conter pelo menos 1000 ppm de flúor e ter baixa abrasividade, o que pode ser conferido na embalagem”, aponta Uemura. Com relação aos bochechos e utilização de enxágues é importante avaliar previamente com o(a) cirurgião-dentista o tipo mais indicado para cada paciente.

3- Utilize sempre o fio dental antes da escovação
Um produto em especial merece atenção na hora da escovação: o fio dental. Ele permite a higiene completa, uma vez que alcança lugares em que as cerdas da escova não chegam. A orientação é retirar 45 centímetros do produto da embalagem, enrolar uma parte nos dedos e passar por todos os vãos dos dentes, sem reutilizar nenhuma parte do fio. O mais indicado é realizar o procedimento antes de iniciar a escovação.

4. Não esqueça da língua
Fazer a limpeza da língua é tão importante quanto a higienização dos dentes. Deve ser uma prática adotada em todas as escovações, já que pequenas partículas de alimentos ficam presas na língua. Se não forem removidas, podem causar prejuízos à saúde.
“A escovação do dorso (parte de cima) da língua, usando a escova de trás para frente, pelo menos na última escovação, evitará a formação de saburra (placa esbranquiçada), que contribui para o mau hálito”, alerta a conselheira.

5. Faça boas escolhas em sua alimentação
A alimentação é um ponto importante para evitar diversos problemas bucais. Maus hábitos, como o consumo excessivo do açúcar, podem refletir, principalmente, no aparecimento da cárie.
Por isso, a recomendação da conselheira do CROSP é evitar, por exemplo, a ingestão de refrigerantes e sucos industrializados. “Dê preferência às frutas, fibras e verduras. Evite o excesso de carboidratos, que se transformam em açúcar”, avisa Sofia.

6. Evite o fumo e o álcool
A ingestão excessiva do álcool e o fumo são hábitos extremamente prejudiciais à saúde em geral. Portanto devem ser evitados de qualquer maneira e por toda a vida. Na saúde bucal interferem na produção da saliva, elemento importante na prevenção do mau hálito e na própria manutenção da saúde da boca. Além disso, são considerados agentes que predispõem ao câncer.

7. Fique atento às lesões bucais.
É nas consultas regulares ao(a) cirurgião(ã)-dentista que o paciente detecta qualquer problema de saúde bucal. No entanto, durante a escovação é possível perceber se há algum sinal diferente. Assim, é recomendável observar os tecidos moles da cavidade bucal, como língua, bochechas, gengivas e céu da boca. “Machucados que demoram a cicatrizar, manchas ou placas esbranquiçadas são sinais que necessitam de atenção e devem ser avaliados pelo(a) profissional”.

Com essas sete recomendações as chances de manter a saúde bucal são muito maiores. Consulte o(a) cirurgião(ã)-dentista, cuidado com a higienização e cultive sempre bons hábitos.
Sobre o CROSP – O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com cerca de 120 mil profissionais inscritos. Além dos cirurgiões-dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Técnicos em Prótese Dentária, Técnicos em Saúde Bucal, Auxiliares em Saúde Bucal e Auxiliares em Prótese Dentária. Mais informações: www.crosp.org.br

Pin It