Professor Sergio Tosi Rodrigues do Departamento de Educação Física da Faculdade de Ciências

O professor Sergio Tosi Rodrigues, do Departamento de Educação Física da Faculdade de Ciências (FC) da Unesp em Bauru, apresentou a tese "Controle Visual de Ações: Locomoção, Aprendizagem por Demonstração e Postura" e obteve o título de Livre Docente.

O trabalho foca o comportamento motor humano e baseado nas relações percepção-ação. Segundo o pesquisador, a visão é crucial para permitir interações com objetos, outras pessoas e o ambiente.

"O objetivo central deste estudo foi caracterizar como informação relevante no fluxo ótico dá suporte ao controle visual de ações. Mais especificamente, o foco foi sobre como o fluxo ótico é usado para controlar locomoção, aprendizagem por demonstração e postura", explicou Rodrigues.

Ele ainda relata que evidências de estudos anteriores foram analisadas para discutir ligações percepção-ação nos seguintes contextos: a) locomoção – informação de tempo para contato e julgamentos visuais do espaço envolvidos no controle da freada da bicicleta e passagem da cadeira de rodas por aberturas; b) aprendizagem baseada em demonstração – comparação entre modelos de movimento biológico e vídeo regular; e c) controle postural – efeitos de movimentos dos olhos sacádicos (são os deslocamentos que os olhos realizam, a cada segundo para a realização de uma tarefa onde seja necessária o controle ocular fino. Esses movimentos sacádicos ligam todas as fixações oculares entre si, possibilitando por exemplo, a leitura e a escrita) e de perseguição sobre a oscilação corporal, assim como perturbações ao equilíbrio devidas ao movimento discreto de uma sala móvel e a ação de agarrar.

"Em síntese, os dados resultantes de uma variedade de manipulações de condições visuais dão suporte a noção de que o controle visual de ações é fortemente sintonizado à informação", completou.

Segundo Tosi, de um modo geral o estudo baseou-se na manipulação de características do fluxo ótico disponível aos participantes em situações nas quais eram requeridas respostas motoras, mensuradas por método biomecânico ou psicofísico.

A questão enfrentada foi como o fluxo ótico é utilizado em diferentes circunstancias, em habilidades motoras distintas, com requerimentos perceptuais e motores variados. "Não se trata de tentar estabelecer se a explicação é correta ou incorreta, mas o que há de consistente através dos diferentes experimentos, como a relação percepção-ação se explicita em cada contexto", finaliza o pesquisador.

A defesa aconteceu nos dias 10 e 11/09 (quinta e sexta), com prova escrita na quinta de manhã (das 08h40 às 13h40), com leitura do texto na sequência. Na sexta-feira, ocorreram a prova didática às 08h30 e breve apresentação da tese às 09h45, seguida de arguição do memorial e defesa da tese, com término às 15h.

A banca examinadora foi composta pelos seguintes membros: professores:Marcelo Carbone Carneiro - Depto. de Ciências Humanas - FAAC/ Unesp Bauru; José Angelo Barela - Depto. de Educação Física - IB/Rio Claro;   Go Tani - Escola de Educação Física e Esporte / USP - São Paulo;  - Umberto Cesar Corrêa - Escola de Educação Física e Esporte / USP - São Paulo; - Renato Moraes Escola de Educação Física e Esporte / USP - Ribeirão Preto.

João Moretti Jr
FC/Unesp

Pin It