Conscientização sobre o Ruído

A Coordenação Estadual do Inad (sigla em inglês para Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído), por meio da equipe do Projeto Ruído, promoverá, nesta quarta-feira (27/4), às 9h, no salão internacional da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), evento alusivo ao Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído, com o objetivo de alertar a população brasileira a respeito dos efeitos da poluição sonora. Neste ano, a temática volta-se para a percepção do ruído na escola trazendo o tema Ruído: a solução está na educação! A iniciativa promoverá um minuto de silêncio a fim de destacar o impacto desse agravo no dia a dia.

Na Fiocruz, o Serviço de Audiologia do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da Ensp/Fiocruz e a Coordenação de Saúde do Trabalhador (CST/Fiocruz) compõem o Projeto Ruído. O evento terá participação de instituições públicas que apresentaram iniciativas de combate ao ruído ambiental, como o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smac).

Na opinião da coordenadora do Serviço de Audiologia da Ensp/Fiocruz, Marcia Soalheiro, o ruído é uma questão complexa, e a constituição política das mesas da atividade destaca essa preocupação. “Esse agravo é uma questão difusa de meio ambiente; seu tratamento é difuso e necessita de atendimento multiprofissional para equacionamento das questões. Por isso, convidamos instituições públicas que atuam na defesa dos direitos dos cidadãos.”

Inad 2016: a solução está na educação

Neste ano, a temática volta-se para a conscientização do ruído na escola, com o tema Ruído: a solução está na educação! (Confira os spots da campanha 2016).

O ruído na sala de aula pode ser proveniente de fora, como o trânsito de ruas movimentadas, as brincadeiras e esportes praticados no pátio ou em quadras, sirenes, caixas de som e de dentro da sala de aula, gerados por conversas, ventiladores, aparelhos de ar-condicionado, entre outros.

Os efeitos do ruído em sala de aula podem representar desde simples incômodo até problemas mais significativos de aprendizagem, dadas às condições ambientais adversas. Além de impactar na dificuldade de concentração e de escuta dos alunos, o ruído em sala de aula pode comprometer a voz do professor e ainda potencializar a irritabilidade das pessoas expostas a ele, seja o professor e/ou alunos.

Para diminuir o ruído na escola, além de possíveis mudanças físicas nos ambientes, como vedação e uso de materiais acusticamente absorvedores, o comportamento humano é o que mais contribui. A conscientização de alunos e professores em evitar comportamentos que geram competição sonora, como conversa paralela, arrastar de cadeiras, gritos, é primordial à causa.

A intenção dos organizadores da campanha no Brasil é primar por um cenário em que, desde a primeira edição em 2008, as ações educativas têm ganhado destaque por acreditar que a mudança de mentalidade deve ser fomentada desde cedo, e, além disso, a preocupação dos pais em relação à formação das crianças é uma importante ferramenta para impactar hábitos já cristalizados na sociedade.

 Embora a denominação da campanha sugira “um dia”, as ações não ficam restritas à data, pois os organizadores vêm incentivando atividades que tenham repercussão mais duradoura, em detrimento das ações pontuais. Justificam-se por entenderem que somente assim haverá a mudança de hábitos e conscientização para a problemática do ruído na população.

Ensp/Fiocruz*
*Com informações do Fiocruz Saudável e do INAD 2016

Pin It