Ciência para o Desenvolvimento

A FAPESP anunciou o lançamento da chamada de propostas Ciência para o Desenvolvimento, que tem como objetivo resolver problemas de relevância social e econômica no Estado de São Paulo.

A chamada financiará projetos de pesquisa internacionalmente competitivos, de médio e longo prazo, a serem executados por equipes de institutos de pesquisa e de universidades ou instituições de ensino superior, em parceria com órgãos de governo e, sempre que possível, envolvendo empresas ou organizações não governamentais. Os projetos serão articulados em Núcleos de Pesquisa Orientada a Problemas em São Paulo (NPOP-SP), no âmbito do Programa Ciência para o Desenvolvimento.

A chamada mobilizará R$ 400 milhões, uma vez que ao valor total oferecido pela FAPESP, de R$ 100 milhões, soma-se a exigência de cofinanciamento em igual valor pela entidade parceira que se dispõe a aplicar os resultados e mais R$ 200 milhões das instituições-sede, na forma de contrapartida econômica. Os recursos serão aplicados ao longo de cinco anos.

“Temos expectativas muito positivas de que esse edital provocará a submissão de propostas que vão promover pesquisas em questões muito importantes para o Estado de São Paulo, como segurança, energia, saúde e agronomia. Será também mais uma oportunidade de cooperação entre institutos de pesquisas, universidades e empresas”, disse Marco Antonio Zago, presidente da FAPESP.

O Programa Ciência para o Desenvolvimento foi lançado em evento na FAPESP, em 27 de junho de 2019 (leia mais em agencia.fapesp.br/30851).

Núcleos de Pesquisa Orientada a Problemas

Os NPOP-SP terão foco em uma gama limitada de desafios complexos, para os quais seja possível buscar propostas viáveis de solução por meio de pesquisa científica e tecnológica.

Os problemas a serem abordados, bem como a estratégia pela qual a pesquisa vai contribuir para a criação de soluções viáveis, deverão ser claramente definidos e delimitados na proposta a ser submetida.

Os projetos deverão ser conduzidos por equipes capacitadas e com ampla experiência em pesquisa internacional, governança clara e efetiva, mecanismos de revisão ao longo do período de execução e metas intermediárias de sucesso bem definidas.

O financiamento da FAPESP para as atividades de cada NPOP-SP terá duração de cinco anos, com avaliações anuais. Os resultados definirão a continuidade ou não do financiamento. Os recursos alocados podem ser usados com um grau de autonomia e a FAPESP manterá supervisão permanente, com avaliações periódicas das atividades do núcleo.

Além de definir claramente os problemas que serão alvo da pesquisa, as propostas deverão especificar os benefícios sociais ou econômicos esperados.

A chamada está aberta aos temas e áreas de: Saúde; Energia para o Desenvolvimento: eficiência energética; Agricultura e Abastecimento; Manufatura Avançada e Materiais Avançados; Cidades Inteligentes e Segurança Pública; Conservação do Meio Ambiente e Sustentabilidade: pesquisa inspirada pelo modelo internacional de Centros de Síntese.

O valor solicitado à FAPESP em cada proposta deve se referir aos recursos necessários para os cinco anos do NPOP-SP e poderá ser, em cada ano, de até R$ 2 milhões.

A FAPESP selecionará até 12 propostas no escopo de pesquisa orientada a problemas com impacto social e/ou econômico bem específicos.

As propostas devem descrever claramente qual ou quais os desafios públicos e os problemas de interesse da organização parceira (governo e, potencialmente, empresa ou terceiro setor), relevantes para objetivos estratégicos para o desenvolvimento do Estado de São Paulo, que serão resolvidos ou evitados com uso dos resultados esperados da pesquisa proposta.

As Secretarias do Governo do Estado de São Paulo associadas ao edital anunciarão em seus sítios na internet detalhes relativos aos desafios listados na seção 3 da chamada, no prazo de 15 dias após o anúncio do edital.

Cada proposta de NPOP-SP deve apresentar pelo menos três pesquisadores principais, sendo que pelo menos um deles deve ser vinculado a um instituto de pesquisa (público ou particular, desde que qualificado pela FAPESP) no Estado de São Paulo. Serão especialmente valorizadas as propostas que, além disso, tiverem pesquisadores principais vinculados a universidades ou instituições de ensino superior no estado.

As propostas serão recebidas até 17 de fevereiro de 2020.

A chamada está publicada em: www.fapesp.br/13668.

Agência FAPESP

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original aqui.

Pin It