João Aprígio

Ministros da Saúde do Mercosul, reunidos em São Paulo (SP), na última sexta-feira (1°/11), assinaram acordo que permite a transferência de tecnologia para a criação e ampliação de programa de Banco de Leite Materno nos países do bloco. A experiência brasileira conta com a maior e mais complexa Rede de Banco de Leite do mundo, coordenada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que servirá de referência para Argentina, Paraguai e Uruguai.

“O leite humano é superior a qualquer tipo de fórmula. Para cada litro de leite oferecido para as crianças prematuras, é possível diminuir dois dias de permanência na UTI neo-natal e a alta hospitalar é mais precoce, pois as crianças ganham peso mais rápido e ficam mais resistentes”, destacou o ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta.

No encontro, os representantes do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai compartilharam experiências e debateram ainda outros temas do cenário de saúde sul-americano, como perfis epidemiológicos e aumento da cobertura vacinal. Os quatro ministros também assinaram acordos que estabelecem intercâmbio de conhecimentos no combate a doenças como as hepatites virais, agravos e doenças não transmissíveis, saúde sexual e saúde reprodutiva.

Os presentes também destacaram a importância de uma ação conjunta para compra de medicamentos de alto custo. “No âmbito das Américas, o Brasil compra medicamentos muito mais barato porque compramos para mais de 200 milhões de habitantes. Começamos a construir uma plataforma de compras, mas é um caminho que envolve ações das agências de vigilância, aduana, rotulagem e a questão de transparência de preços”, lembrou o ministro da Saúde do Brasil.

Banco de Leite Materno

A experiência brasileira com a rede de Banco de Leite Materno também foi compartilhada durante a reunião. O Brasil possui a maior e mais complexa rede do mundo, coordenada pela Fiocruz, sendo referência internacional para mais de 20 países por utilizar estratégias que aliam baixo custo e alta tecnologia. São 225 Bancos de Leite Humano, cada um dos 26 estados e DF possuem pelo menos um. Existem ainda 212 postos de coleta, além da coleta domiciliar em alguns estados.

Em 2019, o Brasil assinou uma declaração em que os países do Brics se comprometeram a unir esforços para criar a primeira Rede de Bancos de Leite Humano do Brics.

Vanessa Aquino
Agência Saúde

Pin It