Marcelo Leão

O pesquisador Marcelo Machado Leão foi um dos vencedores do Prêmio Dorothy Stang de Humanidade, Tecnologia e Natureza 2019.

A homenagem é concedida a cada biênio pela Câmara Municipal de São Paulo como reconhecimento do trabalho de pessoas que promovem o desenvolvimento humano por meio de projetos de educação, preservação e conservação do meio ambiente.

Lançado em 2006, o prêmio homenageia a missionária Dorothy Stang (1931-2005), reconhecida internacionalmente por sua dedicação em defesa da Floresta Amazônica.

Diretor da empresa Propark Paisagismo e Ambiente e pesquisador ligado à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (USP), Leão foi homenageado na categoria “Tecnologia ambientalmente positiva”, pelo desenvolvimento de um dispositivo que auxilia na identificação do patrimônio arbóreo de São Paulo, facilitando as operações de monitoramento de riscos e manejo das árvores urbanas.

O projeto tem apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP. A primeira fase da pesquisa foi concluída em 2016 e, em novembro do ano seguinte, iniciou-se a segunda etapa dos trabalhos. (leia mais sobre a plataforma Arbolink em http://pesquisaparainovacao.fapesp.br/546).

Também receberam o Prêmio Dorothy Stang a engenheira agrônoma Ana Maria Primavesi, na categoria “Natureza”, e a bióloga Assucena Tupiassu, na categoria “Humanidade”.

Primavesi é responsável por vários avanços no estudo das ciências do solo, principalmente no manejo do solo. Além do seu trabalho acadêmico, é fundadora da Associação da Agricultura Orgânica.

Tupiassu é especialista em saúde pública, gestão ambiental, ecologia, arte e sustentabilidade e design para sustentabilidade. A bióloga coordenou o Projeto Crer-Ser “Germinando a cidadania” e um curso de capacitação em jardinagem para jovens em vulnerabilidade por 18 anos.

Agência FAPESP

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original aqui.

Pin It