Notícias

encontro na sede da Fundação

Um dos centros mais relevantes em pesquisas médicas no mundo, o Karolinska Institutet, da Suécia, quer firmar novas parcerias com o Brasil, inclusive com instituições do Estado de São Paulo, com vistas a gerar inovações na área da saúde.

O instituto sueco, responsável pela escolha dos ganhadores do prêmio Nobel de Medicina/Fisiologia, firmou, no fim de 2018, um acordo de cooperação com a FAPESP, no qual as instituições se comprometem a financiar pesquisas colaborativas entre pesquisadores do Estado de São Paulo e do Karolinska Institutet.

Em workshop realizado na FAPESP no dia 12 de dezembro, representantes da FAPESP, de universidades paulistas e da instituição sueca apresentaram relevantes trabalhos de inovação na área da saúde e

Ana Amélia Bergamini Machado e Ettore Segreto

Os físicos Ana Amélia Bergamini Machado e Ettore Segreto foram os ganhadores do DPF Instrumentation Early Career Award de 2019. O prêmio, concedido anualmente pela American Physical Society, contempla contribuições excepcionais à instrumentação no campo da física de partículas. Machado e Segreto foram premiados pela excelência de seus currículos acadêmicos e pela invenção conjunta do dispositivo Arapuca, utilizado no sistema de fotodetecção do megaexperimento Dune, Deep Underground Neutrino Experiment , o mais ambicioso projeto já idealizado para o estudo de neutrinos. Segreto é apoiado pela FAPESP por meio do programa Apoio a Jovens Pesquisadores (Mais informações sobre o dispositivo estão disponíveis em agencia.fapesp.br/26040/ e agencia.fapesp.br/25451/).

O Arapuca foi concebido pelo casal de pesquisadores enquanto eles

evento na FAPESP

Projetos de pesquisa, além de novos conhecimentos, geram uma infinidade de dados que, se bem organizados, podem subsidiar novos estudos, originando ainda mais conhecimento.

Foi com base na maior eficiência no uso de informações de ciência que a FAPESP lançou em 16 de dezembro a Rede de Repositórios de Dados Científicos do Estado de São Paulo. A iniciativa vai disponibilizar, de modo organizado em uma plataforma aberta, dados associados às pesquisas desenvolvidas em todas as áreas do conhecimento no Estado de São Paulo.

A rede envolve as seis universidades públicas do Estado de São Paulo – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Federal de São Carlos

pesquisa

A FAPESP anuncia uma nova oportunidade com o objetivo de estimular a colaboração científica entre pesquisadores do Estado de São Paulo e do Reino Unido.

A chamada de propostas é lançada em conjunto com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e outras 17 fundações de amparo à pesquisa estaduais (FAPs), no Brasil, e, no Reino Unido, com o Fundo Newton, a Academy of Medical Sciences, a British Academy, a Royal Academy of Engineering e a Royal Society.

A oportunidade é aberta a pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior ou pesquisa do Estado de São Paulo e do Reino Unido, em

ICTP-SAIFR

O Instituto Sul-Americano para Pesquisa Fundamental (ICTP-SAIFR) está com chamada aberta para propostas de atividades e formação do calendário de 2021 do instituto. O prazo de submissão das propostas termina no dia 31 de dezembro de 2019.

O ICTP-SAIFR é um centro de pesquisas com apoio da FAPESP e sediado no Instituto de Física Teórica (IFT) da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

A previsão é que, em 2021, as atividades tenham a inclusão de várias escolas de duas semanas para estudantes de doutorado semelhantes às São Paulo International Schools on Theoretical Physics, organizadas em 2018 e 2019, minicursos e workshops sobre tópicos especializados e atividades de divulgação para o público em geral e estudantes do ensino

evento na FAPESP

Os gestores de saúde no Estado de São Paulo carecem de sistemas integrados de informação, baseados em modelos preditivos, por exemplo, que lhes permitam se antecipar e controlar mais rapidamente surtos de doenças emergentes.

Para encontrar soluções para desafios da área da saúde e também dos setores de energia, agricultura, manufatura avançada, cidades inteligentes, segurança pública e meio ambiente, a FAPESP e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo lançaram a chamada Ciência para o Desenvolvimento.

Aberta até o dia 17 de fevereiro de 2020, a chamada financiará projetos de pesquisa internacionalmente competitivos, de médio e longo prazo, a serem executados por equipes de institutos de pesquisa e de universidades ou instituições

Phablo Abreu e o Rogério Aleixo Silva

Os pesquisadores Phablo Abreu e Rogério Aleixo Silva, ambos do Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina (Redoxoma), foram premiados com Travel Awards para apresentar suas pesquisas na 26ª Conferência Anual da Society for Redox Biology and Medicine realizada de 20 a 23 de novembro de 2019, em Las Vegas, nos Estados Unidos.

O Redoxoma é um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiado pela FAPESP, com sede no Instituto de Química (IQ) da Universidade de São Paulo (USP).

Phablo Abreu é pós-doutorando do Laboratório de Metabolismo Energético do IQ-USP, sob a supervisão da professora Alicia Kowaltowski, e apresentou o trabalho “Endurance exercise promotes muscle stem cell self-renewal and repair function

Radartona

Três bolsistas do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Internet do Futuro para Cidades Inteligentes (Interscity) foram os vencedores da Radartona organizada pela Prefeitura de São Paulo. São eles: Higor Amario, Eduardo Santana, ambos pesquisadores do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (USP), e Éderson Cássio, bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O Interscity recebe financiamento do CNPq por meio do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) e FAPESP via Projeto Temático Internet do Futuro Aplicada a Cidades Inteligentes.

A Radartona foi um concurso para o desenvolvimento de soluções para a mobilidade da cidade de São Paulo utilizando os dados dos mais de

Linamara Battistella

A médica fisiatra Linamara Rizzo Battistella, professora titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e idealizadora da Rede Lucy Montoro, tomou posse como membro efetivo da National Academy of Medicine, dos Estados Unidos,

A indicação se deu em setembro de 2018, e a nomeação ocorreu em outubro de 2019, em uma cerimônia em Washington. Pela primeira vez uma brasileira ocupa a posição. Victor Dzaun, presidente da academia, salientou a contribuição que a atuação de Battistella terá para as áreas da Saúde, Medicina e a Ciência no mundo.

Fundada em 1970, a National Academy of Medicine é uma das três academias científicas norte-americanas que compõem a National Academies of Sciences, Engineering, and

ilustração

O Conselho Superior da FAPESP designou um Comitê de Busca para receber as inscrições e entrevistar os candidatos ao cargo de diretor administrativo da Fundação (DA) que assumirá a função a partir de maio de 2020. O DA compõe, juntamente com o diretor-presidente e o diretor científico, o Conselho Técnico-Administrativo.

Compõem o Comitê de Busca os professores: Carmino Antonio de Souza, João Fernando Gomes de Oliveira e Ignacio Maria Poveda Velasco, todos membros do Conselho Superior da FAPESP.

Os nomes com o perfil desejado serão apresentados ao Conselho Superior que, por votação, elaborará lista tríplice a ser encaminhada ao escrutínio do governador do Estado de São Paulo.

As sugestões e manifestações acima mencionadas poderão ser

pesquisadores de São Paulo e dos Países Baixos

De prontuários clínicos a grandes enquetes epidemiológicas, passando por exames laboratoriais e de imagem, serviços hospitalares, estudos de doenças específicas, investigações em “ômicas” (genômica, proteômica, metabolômica etc.) e dispositivos de uso médico, as áreas de Saúde e Ciências da Vida geram, diariamente, uma quantidade assombrosa de dados. E os números atuais tendem a ser rapidamente ultrapassados com o desenvolvimento e comercialização de sensores portáteis, cada vez menores, aptos a monitorar funções vitais e identificar moléculas marcadoras de doenças.

O grande desafio é transformar quantidade em qualidade, isto é, fazer dessa massa amorfa de dados um sistema integrado e útil de informação e conhecimento. Por isso, a convergência de big data e Ciências da Vida define