mortalidade no Brasil

O papel da governança na melhoria da saúde da população é tema de artigo publicado no periódico científico Health Affairs, em edição lançada em 9 de janeiro deste ano. O estudo Large Reductions In Amenable Mortality Associated With Brazil’s Primary Care Expansion And Strong Health Governance constatou que um melhor nível de governança e a maior cobertura de saúde na atenção primária nos municípios brasileiros estão associados à redução de mortalidade.

(Acesse o estudo na íntegra)

O objetivo da pesquisa, fruto de uma colaboração de pesquisadores do Instituto Gonçalo Moniz (Fiocruz Bahia) e do Instituto de Saúde Coletiva (ISC/UFBA) com pesquisadores do Imperial College de Londres e de Havard, foi examinar se a expansão da Estratégia de Saúde da Família (ESF), um dos maiores programas de Atenção Básica à Saúde do mundo, reduziu a mortalidade por causas passíveis de tratamento no Brasil. O estudo foi assinado por Thomas Hone e tem a co-autoria do coordenador-executivo do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para a Saúde (Cidacs), Maurício Barreto, e do pesquisador do Cidacs Davide Rasella.

O estudo

O papel da governança na melhoria da saúde da população é uma questão muito discutida em saúde global.  No entanto, apesar de amplamente reconhecida como um elemento necessário, é difícil associar os seus efeitos da governança a desfechos na saúde (morbidade ou mortalidade).

Analisando dados de 1.622 municípios brasileiros entre os anos 2000-12, os autores mediram o nível da governança local de saúde dentro de cada município e demonstraram que os municípios com melhores níveis de governança tiveram as maiores reduções na mortalidade. Eles também constataram que enquanto as variáveis socioeconômicas melhoraram ao longo do período, a cobertura de atenção primária foi associada com reduções na mortalidade por causas passíveis de tratamento (mortalidade evitável com cuidados de saúde oportunos e efetivos).

“Nossos achados indicam que a expansão na cobertura da Estratégia de Saúde da Família teve um impacto substancial sobre a mortalidade, e que uma governança local sólida é importante para a implementação de serviços mais eficazes e para a obtenção de melhores resultados de saúde em termos de redução das taxas de mortalidade por causas passíveis de tratamento” concluíram os autores.

Os pesquisadores

Além de coordenador-executivo do Cidacs, Maurício Barreto é pesquisador sênior do Instituto Gonçalo Muniz (Fiocruz Bahia) e professor no Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia.  No Cidacs, Barreto coordena a Coorte Virtual de 100 milhões de Brasileiros, uma plataforma que busca avaliar determinantes sociais e efeitos de políticas e programas sociais sobre diferentes aspectos da vida da sociedade brasileira, em especial a saúde.

O pesquisador do Cidacs Davide Rasella é bolsista de pós-doutorado da Wellcome Trust, com base no Instituto Gonçalo Moniz (Fiocruz Bahia), na Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) e na London School of Hygiene and Tropical Medicine. Ele também integra a plataforma Coorte Virtual de 100 milhões de Brasileiros.

Saiba mais sobre a Coorte de 100 milhões.

Fiocruz Bahia

Pin It