redes sociais

O quarto episódio de 2019 do programa Ciência Aberta, que será lançado no dia 12 de junho, discute a tendência do uso das mídias sociais digitais para a educação científica.

Youtubers e podcasters que se dedicam à divulgação de ciência e tecnologia já têm hoje, no Brasil, centenas de milhares ou até milhões de seguidores. E outras mídias, como Twitter, Instagram e Facebook, também têm sido utilizadas com sucesso nesse tipo de divulgação.

Para debater o tema, participam do episódio Redes sociais e novas formas de comunicar ciência:

Germana Fernandes Barata, professora e pesquisadora do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e ex-editora das revistas Ciência & Cultura e ComCiência.

Átila Iamarino, biólogo e um dos fundadores da rede ScienceBlogs Brasil e do canal Nerdologia, no YouTube, com mais de 2 milhões de seguidores.

Altay Lino de Souza, pesquisador do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e divulgador de ciência por meio do podcast Naruhodo!.

Na plateia, os convidados são alunos da Escola Estadual Manuel Ciridião Buarque, da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP) e interessados que se inscreveram para participar do programa.

Ciência Aberta é apresentado por Alexandra Ozorio de Almeida, diretora de redação da revista Pesquisa FAPESP. O programa é uma parceria da FAPESP com o jornal Folha de S. Paulo.

O novo episódio também poderá ser visto em www.fapesp.br/ciencia-aberta, pela página da Agência FAPESP no Facebook e no YouTube e pelo site da TV Folha .

Agência FAPESP

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original aqui.

Pin It