Artigos

tabagismo

“Há 1,1 bilhão de fumantes no mundo e cerca de 4 em cada 5 vivem em países de baixa e média rendas. Principal fator de risco de morte por doenças crônicas não transmissíveis, o tabagismo é o responsável por seis milhões de óbitos ao ano”. A informação de alerta vem de um artigo publicado no Cadernos de Saúde Pública, revista científica da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz). De autoria dos pesquisadores Marcia Pinto, Ariel Bardach, Alfredo Palacios, Aline Biz, Andrea Alcaraz, Belen Rodriguez, Federico Augustovski e Andres Pichon-Riviere, o artigo intitula-se Carga do tabagismo no Brasil e benefício potencial do aumento de impostos sobre os cigarros para a economia e para a redução de

Elza Maria Ajzenberg

Cientista, artista, mestre do Renascimento, Leonardo da Vinci (Anchiano, 15 de abril de 1452 – Amboise, 2 de maio de 1519) abriu horizontes do conhecimento. Pesquisou e criou sem limites – de máquinas voadoras à anatomia humana. Estudou o céu e a terra. Dedicou-se às conexões entre a arte e as ciências da natureza. Passados 500 anos do seu falecimento, as contribuições de Leonardo não cessam de atingir o homem contemporâneo.

Sua trajetória tem sido alvo de vários estudos e publicações. É sabido que nasceu em Anchiano/Vinci, perto de Florença, filho de Piero da Vinci e de uma camponesa – Catarina Lippi. Seu pai era um homem próspero, atuou como tabelião para diversos mosteiros, ordens

Jorge Bermudez

A agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos, FDA, acaba de aprovar o medicamento mais caro do mundo. Para tratar uma criança com Atrofia Muscular Espinhal (AME), a voracidade da indústria farmacêutica não tem limites e o tratamento vai custar nada menos que 2,1 milhões de dólares, com o mais recente lançamento da terapia genética, o Zolgensma. Cada vez mais, as grandes empresas farmacêuticas compram pequenas indústrias e seu portfólio de produtos e tentam recuperar esses investimentos em pouco tempo, estabelecendo preços fictícios, que não correspondem aos custos reais.

Há uma diferença muito grande entre custos e preços. Mais grave do que isso, existem exemplos de produtos desenvolvidos em universidades norte-americanas com cessão

Jean Pierre Chauvin

De tempos em tempos, nós, que pesquisamos e discorremos sobre objetos relacionados à cor, ao som e à forma, precisamos vir a público para desdizer medidas estreitas e reafirmar o papel das humanidades, ou ciências humanas, ou soft sciences, perante um mundo cada vez menos favorável à diversidade e cada vez mais standard, como supuseram Herbert Marcuse e Edgar Morin[1], entre as décadas de 1960 e 1970. Decorre daí a ironia máxima: os terráqueos ocupam hemisférios metrificados, mas sem maior espaço para a poesia, o exercício da sensibilidade e a reflexão. Na hipervalorizada Era da Comunicação, cabe um pouco de quase tudo; porém anda bem menor a preocupação com a linguagem.

Isso talvez aconteça porque

Carlos Gadelha

A saúde é parte indissociável do desenvolvimento nacional. Além de constituir um direito essencial de cidadania, constitui uma fonte de geração de valor e de riqueza social e econômica. A saúde emprega diretamente 6,6 milhões de pessoas (IBGE), podendo mobilizar mais de 15 milhões de trabalhadores, pelos efeitos diretos e indiretos que possui no sistema produtivo. Não há nenhuma outra área comparável com esse potencial para tirar brasileiras e brasileiros da dramática situação de desemprego, subemprego ou de desalento com o seu futuro.

A saúde representa 9% do PIB, considerando as atividades industriais e de serviços que se articulam no Complexo Econômico-Industrial da Saúde. Mais de 30% da pesquisa nacional concentra-se na área da saúde,

Previdência Social

"O Brasil, em comparação com o Chile, se caracteriza por maiores taxas de informalidade laboral, desigualdades socioeconômicas, expectativa de vida mais baixa e heterogênea". Esse perfil descrito em um artigo do Cadernos de Saúde Pública (CSP) alerta para os efeitos de uma reforma da previdência, como a defendida pelo Governo Bolsonaro, que orientada "pela austeridade e argumentos contábeis falaciosos, pode ser trágica para as próximas gerações".

No artigo, Reformas da Previdência Social no Chile: lições para o Brasil, publicado no CSP de maio, os autores Suelen Carlos de Oliveira (Universidade do Grande Rio), Cristiani Vieira Machado (Fiocruz) e Aléx Alarcón (Universidade do Chile) Hein defendem que uma reforma da previdência deveria ser orientada para consolidar um sistema

Água na agricultura

Dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) indicam que, para atender ao crescimento populacional e às novas demandas por alimentos, a produção mundial de cereais terá que aumentar cerca de um bilhão de toneladas até o ano 2030. Esse aumento previsto dependerá prioritariamente da disponibilidade hídrica para suprir as demandas de irrigação, que será responsável por atender cerca de 80% dessa produção adicional que ocorrerá entre 2001 e 2025.

Segundo Postel (2000), no mundo, a agricultura irrigada é responsável por cerca de 40% de toda produção, viabilizando produzir fisicamente, em uma mesma área, até quatro vezes mais que a agricultura de sequeiro. Para evidenciar a importância da agricultura irrigada

Jurandir Renovato

No subúrbio nunca existiu livraria. Ainda não existe. À medida que nos afastávamos do centro e/ou dos bairros contíguos a ele, as livrarias, que já não eram muitas, iam dando lugar às papelarias, onde se podia encontrar de tudo, de material escolar a utensílios de escritório, de cartões-postais (isso ainda existe?) a livros, principalmente didáticos. Hoje em dia, mesmo as papelarias mudaram sua feição, engolidas pelas grandes redes de lojas e supermercados.

Continuando essa espécie de percurso centrífugo na geografia da cidade, em direção àquela área do subúrbio mais longínqua, a que se denomina “periferia”, para não dizer “lá onde Judas perdeu as botas”, as papelarias também iam se obliterando, pelo menos aquelas nas quais

Alvair Silveira Torres Junior

Muito tem sido escrito e falado sobre a reforma da Previdência como solução de todos os males que assolam a economia brasileira. O projeto enviado também parece se revestir com a aura de única via, quando, à luz dos modelos de processo decisório, a boa prática na solução de problemas recomenda examinar mais de uma alternativa nos casos estratégicos e de grande impacto. Se imaginarmos a sociedade e seus representantes no Congresso Nacional como instância de decisão no sistema de governança do País, assim como o Conselho de Administração de uma empresa, algumas alternativas de reforma deveriam ser apresentadas e discutidas antes de uma proposta específica.

A cultura participativa, entretanto, ainda está em fase embrionária

indígenas

"As estratégias de luta pela saúde dos povos indígenas brasileiros são influenciadas pelas suas disputas socioambientais e são parte das mobilizações desses povos pelo reconhecimento integral de direitos." Os indígenas, que representam 0,43% da população brasileira, aumentaram em 177% em 20 anos, conforme Censo de 2010. É o que trata o artigo A luta dos povos indígenas por saúde em contextos de conflitos ambientais no Brasil (1999-2014), dos pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), Diogo Ferreira da Rocha, Marcelo Firpo de Souza Porto e Tania Pacheco, publicado na revista Ciência & Saúde Coletiva, de fevereiro de 2019.

Os casos analisados no artigo apontam para conquistas do movimento indígena brasileiro no campo das lutas

Otaviano Augusto Helene

Embora a ideia de um fundo patrimonial destinado a uma instituição pública de ensino superior, ou a algumas de suas unidades, tenha surgido várias vezes ao longo do tempo, tal proposta vem ganhando corpo mais recentemente, tanto em declarações verbais, como em reportagens, artigos assinados em jornais, etc. Entretanto, todas as análises são muito superficiais e, assim, cada pessoa acaba por fazer a imagem que quer sobre tal tipo de fundo, sem ter ideia sobre suas características, suas origens, como funcionam nos diversos países, onde existem e onde não existem, suas possibilidades, os valores envolvidos etc.

O que são tais fundos e onde eles existem?

Fundos patrimoniais são recursos, principalmente monetários, que estão à disposição