Arquitetura

Comunidade Cantinho do Céu

Do total de 33 milhões de habitantes da macrometrópole paulista, 3,8 milhões vivem hoje em condições precárias. Essas pessoas estão distribuídas em 113 dos 174 municípios da área, que engloba as regiões metropolitanas de São Paulo, Campinas, Baixada Santista, Sorocaba, Vale do Paraíba e Litoral Norte, além das aglomerações urbanas de Jundiaí, Piracicaba e Bragança Paulista.

Estima-se que o território ocupado por essa parcela da população vivendo em condições precárias totalize 31,5 mil quilômetros e que esteja se expandindo em direção a áreas de mananciais e de preservação ambiental.

Essa ocupação urbana desordenada tem aumentado na região – que concentra 20% do patrimônio natural protegido do Estado de São Paulo – os riscos de escassez

Telhados verdes

Substratos dos telhados são mais sustentáveis do que alternativa existente no mercado e apresentaram resultados competitivos

Um projeto de mestrado desenvolvido na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP criou dois substratos para telhados verdes: o primeiro à base de bagaço de cana-de-açúcar, e o segundo com fibras de coco verde. A pesquisa apresentou resultados sempre iguais ou superiores aos do substrato controle utilizado e gerou uma patente para a Agência USP de Inovação (Auspin) da USP.

Telhados verdes são modelos de plantação em telhados, em que podem ser cultivadas desde gramíneas até hortaliças. Os Jardins Suspensos da Babilônia costumam ser apontados como um exemplo primitivo dessa técnica, mas os tetos verdes como

Azulejo de faiança

Aplicada em ambientes internos e externos, arte de ladrilhar era utilizada desde o século 18

A arte de ladrilhar e a trajetória histórica deste material largamente empregado na construção civil desde o século 18 foi tema de artigo da revista Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material.  Em São Paulo e no Rio de Janeiro, o revestimento das calçadas com ladrilhos hidráulicos foi utilizado em residências, comércios e espaços públicos, como o Teatro São Pedro, Casa da Marquesa de Santos, Bolsa Oficial do Café, em Santos, Paróquia Nossa Senhora do Brasil e o prédio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No artigo A produção de ladrilho e o ofício de ladrilhar:

Reunião comemorativa do PBQP-H

A reunião comemorativa dos 20 anos do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) do governo federal foi realizada na cidade de Brasília no dia 6 de dezembro. Criado em 1998, o programa visa à melhoria da qualidade habitacional, modernização e produtividade do setor da construção civil brasileira. A busca por esses objetivos envolve ações para aumento da competitividade setorial, melhoria da qualidade de produtos e serviços, desenvolvimento de novas tecnologias, avaliação de desempenho dos sistemas construtivos, sustentabilidade, redução de custos e otimização dos recursos públicos.

O programa tem adesão voluntária e está estruturado com base na implementação de um conjunto de sistemas (Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras

Edifício Vilanova Artigas

Passeio pela sede da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP acontece neste sábado, dia 9, às 14 horas

Neste sábado, dia 9, das 14 às 17 horas, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP promove mais uma visita monitorada ao Edifício Vilanova Artigas, que se localiza na Cidade Universitária, em São Paulo, e abriga os cursos de graduação da unidade. Projetado pelo arquiteto João Batista Vilanova Artigas (1915-1985), ex-professor da FAU, ele é considerado um dos principais representantes do modernismo arquitetônico do Brasil.

A visita, com três horas de duração, terá acompanhamento de um docente da FAU, que mostrará os aspectos históricos, espaciais e técnicos do projeto e da construção do edifício.

Logo IPT

A inspeção da ponte Adhemar de Barros, no município de Potim, realizada por pesquisadores do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), manteve a orientação para interdição total da estrutura. Segundo o relatório, a ponte apresenta problemas resultantes de fatores externos, como intempéries e usos inadequados, mas também intrínsecos à própria estrutura, cuja construção data da década de 1960.

O trabalho, realizado no âmbito do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem) da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, consistiu em um levantamento das anomalias da ponte, registradas em fotos e desenhos a partir da inspeção visual da estrutura. Ele também incluiu um mapeamento topográfico da ponte, feito por empresa especializada e cujo objetivo

Castelo Fiocruz

Símbolo da Fundação Oswaldo Cruz, o Pavilhão Mourisco – popularmente conhecido como Castelo da Fiocruz – é tema do 3º Seminário Caminhos da Arquitetura em Manguinhos: 100 anos do Pavilhão Mourisco. Promovido pela Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), o evento vai apresentar o contexto de construção do edifício, que chega ao seu centenário em 2018, além dos desafios contemporâneos e novas perspectivas para sua preservação e gestão. Idealizado pelo próprio Oswaldo Cruz, que desenhou seus primeiros esboços, e projetado pelo arquiteto português Luiz Moraes Júnior, o Castelo foi concebido para demarcar o nascimento da ciência no Brasil Republicano. O evento será realizado nos dias 27 e 28 de novembro, no Salão de Conferência do Centro

Revista Labverde

Publicação busca divulgar o conhecimento mais recente na área de arquitetura, urbanismo e design, com foco em sustentabilidade e resiliência urbana

Foi publicado o mais novo número (volume 9, número 1, 2018) da revista semestral da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, Labverde. A revista aborda a discussão da urbanização e sua relação com o meio ambiente.

O número conta com seis artigos, e entre eles estão O papel da vegetação no controle dos ventos para o conforto térmico, que discute os elementos da vegetação como barreira para os ventos, favorecendo o conforto térmico em espaços abertos; e Projeto urbano sustentável para a cidade de Itu, que traz novos cenários de desenvolvimento sustentável

ponte

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo trabalha há décadas com inspeções e análises estruturais de pontes e viadutos, com o objetivo de avaliar a segurança e a integridade estrutural das obras. Estabelecer diretrizes para manutenção e recuperação das estruturas é parte fundamental do processo.

Com base nesse conhecimento, o IPT lista algumas dúvidas fundamentais sobre o assunto. As respostas foram fornecidas pelo pesquisador Ciro José Ribeiro Villela Araújo, responsável pela Seção de Engenharia e Estruturas do Instituto. Confira:

Qual a diferença entre pontes e viadutos?
Ciro: Pontes e viadutos são estruturas consideradas no meio técnico como Obras de Arte Especiais (OAEs), e possuem a função de transpor obstáculos. Quando esses obstáculos são,

Arquitetura e Cidade

O Grupo de Pesquisa de Projeto, Arquitetura e Cidade de Presidente Prudente da Unesp lançou o e-book Cidades do Noroeste Paulista: patrimônio e marginalidade ao longo dos antigos leitos férreos, que registra o entorno ao longo dos antigos leitos férreos do noroeste paulista.

A obra reúne parte das pesquisas e levantamentos realizados nos últimos cinco anos pelo grupo liderado pelo professor Evandro Fiorin, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp. O trabalho de Fiorin recebeu recursos da FAPESP por meio de diversas bolsas.

Os registros e pesquisas se concentram nas cidades de Araçatuba, Assis, Birigui, Marília, Presidente Prudente e São José do Rio Preto, mais precisamente no entorno dos leitos férreos destes municípios.

Fiorin

finanças

Na exposição “FAU 70 Anos”, professores se reúnem para relembrar suas trajetórias

“Nossa, esse cabeludo aqui é você? E esse aqui sou eu? Não acredito.” A surpresa dos sonhadores de 1968 diante do álbum de retratos exposto na inauguração da mostra FAU 70 Anos trouxe de volta o bom tempo da geração de briga. Tempo em que os estudantes sonhavam em cursar Arquitetura e Urbanismo para planejar uma cidade mais humana.

“Olha, vou te mandar esse retrato meu que foi exposto na sala da diretoria”, promete o professor Issao Minami, na época um garoto de Mococa, interior paulista, conhecido pelo seu programa de rádio A Voz dos Estudantes. Veio para São Paulo com o sonho de