Reciis

Fruto de um trabalho colaborativo que envolve ampla rede de editores científicos e associados, editor-executivo, pareceristas, revisores, bibliotecários, desenvolvedores e diagramadores, a Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis) representa um capítulo importante na história de três décadas do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz).

Por meio dela, o Icict/Fiocruz promove a difusão de um campo multidisciplinar que confere visão singular sobre questões de saúde. Essa discussão, há longa data encampada pela unidade no âmbito da Fiocruz, viveu um marco importante quando o Instituto passou a ser denominado unidade técnico-científica da Fiocruz, em 2006. Para o vice-diretor de Informação e Comunicação e editor científico da Reciis, Rodrigo Murtinho, a editoria científica surge nesse contexto contribuindo com este novo desenho.

“Embora o Instituto já fizesse pesquisa e tivesse atividades de ensino, a partir desse momento, essas atividades ganham maior investimento e relevo na unidade, qualificando ainda mais a atuação da unidade e a ação da Fiocruz no campo interdisciplinar que articula comunicação, informação e saúde”, avalia o gestor, que também é pesquisador do Laboratório de Comunicação e Saúde (Laces).

“Nesse caminhar, a Reciis tem um papel importante para o desenvolvimento científico nessa área, que vem se somar a iniciativas que demarcam a ação do instituto no campo multidisciplinar, como o Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde (PPGICS)”, complementa. Dessa forma, o periódico editado pelo Icict/Fiocruz desde 2007 vem se aprimorando a cada edição, buscando dar cada vez mais visibilidade aos artigos e pesquisadores dessas áreas temáticas.

Já são 38 edições trazendo artigos originais, artigos de revisão, ensaios, entrevistas, imagens comentadas, notas de conjuntura, relatos de experiência e resenhas de livros e de produções audiovisuais. Esse ano, o periódico comemora uma nova indexação, da Rede Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), conferida pela Bireme, possibilitando maior alcance nacional e internacional. “É um reconhecimento dos esforços que fizemos nesses nove anos de qualificar a revista tanto do ponto de vista do conteúdo dos artigos publicados quanto da estruturação da revista, que requer cada vez mais investimentos”, avalia o vice-diretor.

O trabalho em rede pela ampla equipe de colaboradores é fundamental para os resultados que vem sendo alcançados, pois requer um grande esforço de organizar, distribuir, revisar, editar e divulgar os artigos recebidos e avaliados. Além disso, em termos de sustentabilidade, assim como outros periódicos no Brasil, enfrenta o desafio de obter financiamento estável para o cumprimento de todas as suas etapas.

“Por isso, tem sido muito importante nos últimos anos o esforço de conseguir institucionalizar a revista. Temos buscado aumentar a nossa capacidade de enfrentar os desafios e de superar as dificuldades, por meio das parcerias. Como unidade de comunicação e informação, temos muitas das expertises necessárias ao processo editorial no próprio Icict/Fiocruz. O que estamos fazendo é integrar profissionais de várias áreas, através do trabalho colaborativo, na produção de um projeto estratégico da nossa unidade” conclui Murtinho.

Saiba mais sobre a última edição da Reciis.

André Bezerra
Icict/Fiocruz

Pin It