Prêmio 3 vezes 22

A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da Universidade de São Paulo (USP) anunciou o resultado do Prêmio 3 vezes 22 de teses e dissertações: “Bicentenário da Independência do Brasil” e “Centenário da Semana de Arte Moderna”.

O intuito da iniciativa é valorizar trabalhos que apresentem novas e relevantes contribuições sobre a Independência do Brasil e a Semana de Arte Moderna. Os trabalhos premiados serão publicados pelo selo editorial BBM Publicações.

Na categoria “Centenário da Semana de Arte Moderna”, os trabalhos vencedores foram: “Esculpindo para o ministério: arte e política no Estado Novo”, de Marina Mazze Cerchiaro, do Instituto de Estudos Brasileiros da USP; “Um boxeur na arena: Oswald de Andrade e as artes visuais no Brasil, 1915-45”, de Thiago Gil de Oliveira Virava, da Escola de Comunicação e Artes da USP; e “Do ceticismo aos extremos: cultura intelectual brasileira nos escritos de Tristão de Athayde, 1916-1928”, de Thiago Lenine Tito Tolentino, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O estudo de Cerchiaro teve apoio da FAPESP, com coordenação da professora Ana Paula Cavalcanti Simioni, da USP.

Na categoria “Bicentenário da Independência do Brasil”, três pesquisas inscritas tiveram vencedores com apoio da FAPESP: “Na lei e na guerra: políticas indígenas e indigenistas no Ceará, 1798-1845”, de João Paulo Peixoto Costa, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); “São Paulo na disputa pelo passado: o monumento à independência de Ettore Ximenes”, de Michelli Cristine Scapol Monteiro, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP; e “Temporalização dos discursos políticos no processo de Independência do Brasil, 1820-22”, de Rafael Fanni Dias Resende, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Os outros vencedores da categoria foram: “Anarquistas e servis: uma análise dos projetos políticos do ano de 1826 no Rio de Janeiro”, de Arthur Ferreira Reis, da Universidade Federal do Espírito Santo; e “No calidoscópio da diplomacia: formação da monarquia constitucional e reconhecimento da Independência e do Império do Brasil, 1822-27”, de Guilherme de Paula Costa Santos, da FFLCH-USP.

Mais informações: www.bbm.usp.br/node/468.

Agência FAPESP

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original aqui.

Pin It