Poesia e Literatura

Revista Poli

O histórico do modelo de participação social construído no Brasil é o tema da reportagem de capa da última edição da Revista Poli, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz). Com foco nas mudanças que se deram a partir da Constituição de 1988, a matéria explica o funcionamento de diferentes colegiados de participação da sociedade civil e mostra avanços concretos que esse debate permitiu na formulação, acompanhamento e crítica de políticas públicas, com exemplos de diversas áreas – como saúde, educação, meio ambiente e trabalho infantil. Tanto a análise de pesquisadores do tema como o relato de experiência de quem participa desses espaços permitem um olhar crítico sobre medidas recentes, como o decreto

feira de livros

Até o mês de agosto, o Shopping Grande Rio, em São João de Meriti, promove para seus clientes uma feira de livros a preços populares, em parceria com a Emergir. O objetivo da ação é incentivar e promover o interesse pela leitura. O evento funciona na Praça de Eventos do Shopping, de segunda a sexta, das 10h às 22h; aos sábados, das 10h às 22h; e aos domingos e feriados, das 13h às 21h.

Estão à venda no espaço exemplares de livros com preços a partir de R$ 3. Dentre os gêneros, o público encontrará edições de diversos segmentos – infantil, infantojuvenil, literatura brasileira, romance, ficção, biografia, saúde, culinária e jurídico. As formas de pagamento aceitas

revista História, Ciências, Saúde

Referência internacional entre as publicações científicas de sua área, a revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos está comemorando 25 anos de circulação ininterrupta em julho de 2019. Por ocasião de seu aniversário, os editores científicos do periódico celebram as conquistas do período, que reafirmaram o compromisso da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) com a história, os estudos de divulgação científica e a preservação do patrimônio documental e físico, ligado à ciência e à saúde.

Na Carta dos Editores do número 2 do volume 26 (abril a junho) da revista, os editores-científicos Marcos Cueto e André Felipe Cândido da Silva destacam as vitórias e as adversidades superadas para o estabelecimento da HCS-Manguinhos como um instrumento original

revista Nature

A necessidade de repensar o fator de impacto como critério predominante na avaliação de publicações científicas foi tema de um comentário publicado na revista Nature, no dia 28 de maio, por especialistas de diversas áreas.

Os autores e cossignatários do texto – entre eles Renato Hyuda Luna Pedrosa, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador do Programa de Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação da FAPESP – ressaltaram a importância de buscar um conjunto de métricas mais amplo e transparente para avaliação dos periódicos científicos.

“Essa avaliação é resultado de um encontro realizado na Universidade de Leiden, na Holanda, em 2017. No evento, especialistas internacionais em bibliometria, editores de revistas científicas e representantes

Editora Unesp

O público já pode baixar gratuitamente dez livros digitais aprovados no Programa de Edição de Textos de Docentes da Unesp em 2018. A Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Unesp (PROPG) e a Fundação Editora da Unesp (FEU) disponibilizaram as obras. Veja mais detalhes sobre os livros clicando nos títulos, para fazer o link para o download gratuito:

A literatura juvenil na escola

Autor: Benedito Antunes
Assunto: Educação

A literatura juvenil na escolaEste livro reúne ensaios escritos em diferentes momentos, mas que têm como eixo comum a literatura juvenil produzida no Brasil do final do século XX ao início do XXI e duas preocupações explícitas: de um lado, a discussão da possível especificidade da chamada literatura juvenil; de outro, o estudo das implicações de

guia sobre neurocirurgia

O livro Fundamentos da neurocirurgia: um guia para médicos e estudantes de medicina (Springer, 2019) será lançado no dia 30 de julho de 2019 na Amazon.

A publicação foi produzida pelos neurocirurgiões Andrei Fernandes Joaquim, Enrico Ghizoni e Helder Tedeschi, professores do Departamento de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), junto com Mauro Augusto Tostes Ferreira, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O objetivo do livro é fornecer aos médicos e estudantes de medicina um conhecimento básico dos distúrbios neurocirúrgicos mais comuns e preencher uma lacuna entre medicina clínica e neurocirurgia.

O livro é composto de capítulos que discutem cada uma das condições

O massacre de Manguinhos

Em 1970, sob a vigência do Ato Institucional nº 5, dez pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz foram cassados pela ditadura militar. Apesar de as acusações de subversão e corrupção nunca terem sido provadas, os cientistas ficaram impedidos de atuar em instituições públicas no país e só foram chamados a reintegrar aos quadros do IOC em 1986, cinco anos após a publicação da Lei da Anistia. O episódio ficou conhecido como ‘O Massacre de Manguinhos’, título que o pesquisador Herman Lent – um dos mais reconhecidos entomologistas do país e um dos cassados – deu ao livro publicado em 1978, no qual narra e analisa os fatos relacionados à cassação. Considerada, até hoje, como referência sobre

Helena Ignez

Agora com 77 anos, e trabalhando principalmente atrás da câmera como diretora, Helena Ignez foi uma atriz fulgurante na segunda metade dos anos 1960 e início dos anos 1970. Embora já tivesse uma carreira consistente em teatro e cinema, sua revelação para o grande público ocorreu em O Padre e a Moça (1966), dirigido por Joaquim Pedro de Andrade. Em 1968, 1969 e 1970, participando muito ativamente do processo criativo da produtora de vanguarda Belair, Helena teve suas três atuações mais famosas, em O Bandido da Luz Vermelha (1968), A Mulher de Todos (1969) e Copacabana Mon Amour (1970), todos eles dirigidos por Rogério Sganzerla.

Outros títulos fortes da época foram Sem Essa, Aranha (1970),

Editora Fiocruz

A Editora Fiocruz está com duas chamadas públicas abertas para novos autores. Como parte do encerramento do calendário de comemorações dos 25 anos da Editora e dos 119 anos da Fiocruz, os editais convocam pesquisadores, professores e especialistas dos vários campos da Saúde para enviar, até 30 de junho de 2019, livros e textos que possam contribuir para pesquisas e avanços na área.

A divulgação inclui duas chamadas: a de livros autorais e a da coleção “Temas em Saúde”. Na primeira, autores poderão encaminhar originais em temas de Saúde Pública/Saúde Coletiva, Ciências Biológicas e Biomédicas, Ciências Sociais e Humanas em Saúde e Pesquisa Clínica.

As obras, que serão analisadas pelo conselho editorial da Editora Fiocruz

obra Maracujá

O segundo volume da obra “Maracujá: prospecção de demandas para pesquisa, extensão rural e políticas públicas baseadas na adoção e no impacto de tecnologias” apresenta os resultados da Expedição Safra Brasília - Maracujá, evento promovido pela Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri-DF) em parceria com a Emater-DF e a Embrapa em 2017 para diagnosticar a cadeia produtiva do maracujá no DF.

Indicado para produtores, pesquisadores, professores, estudantes, extensionistas rurais e organizações relacionadas ao setor de fruticultura, o livro tem como editores técnicos os pesquisadores Fábio Faleiro e Francisco Rocha, da Embrapa Cerrados (DF), além dos extensionistas da Emater-DF Geraldo Magela Gontijo e Loiselene Rocha.

A publicação analisa o perfil dos produtores,

Vidas talhadas no avesso da história

Os pesquisadores Maria Aparecida de Moraes Silva e Lúcio Vasconcellos de Verçoza, ambos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), lançaram recentemente o livro Vidas talhadas no avesso da história (Editora Annablume, 2019).

A obra, apoiada pela FAPESP, é uma coletânea de pesquisas realizadas sobre o trabalho nas lavouras de cana-de-açúcarnos canaviais paulistas e alagoanos.

Os artigos da coletânea têm como objetivo contribuir para o preenchimento de duas lacunas. A primeira se reporta ao fato de que os estudos do trabalho na contemporaneidade, em geral, reportam-se ao mundo urbano. A segunda lacuna se refere à produção acadêmica dos estudos rurais, os quais, nas últimas décadas, privilegiaram temas relativos às ocupações de terras, aos movimentos sociais,