Trabalho colaborativo envolveu professores da USP e da Universidade de Cambridge

Estudo resultou ainda no lançamento de um CD de repertório coral brasileiro contemporâneo

Um trabalho colaborativo entre o Grupo de Estudos e Pesquisas Multidisciplinares nas Artes do Canto (GEPEMAC), o Comunicantus: Laboratório Coral, ambos ligados ao Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, e a Universidade de Cambridge analisou as práticas e metodologias do ensino do canto coral no Brasil e no Reino Unido. Apesar de as diferenças dos contextos culturais dos dois países, os pesquisadores constataram que o ensino, a transmissão da técnica e o aprendizado do canto coral são similares.

“Percebemos que a abordagem no desenvolvimento criativo de coros e regentes corais apresentam diferenças de um país para o outro, no entanto, ao estudarmos as práticas de ensino e aprendizado, além das formas de propagação das técnicas, vimos como a prática coral é similar tanto no Brasil quanto no Reino Unido”, explica a professora Susana Cecília Igayara, coordenadora do GEPEMAC.

O projeto “Perspectivas Transculturais para o Desenvolvimento Criativo de Coros e Regentes Corais” foi realizado ao longo do ano passado, com a coordenação dos professores John Rink, diretor do Research Centre for Musical Performance as creative practice (Centro de Pesquisa sobre performance musical como prática criativa), e Marco Antonio da Silva Ramos, coordenador do Comunicantus. Além da participação de Geoffrey Webber, diretor do programa de Mestrado em Música da Universidade de Cambridge e diretor musical do Caius and Gonville College Choir, e da professora Susana.

De acordo com a pesquisadora, o projeto foi uma possibilidade de interação entre dois dos principais centros de formação de música coral. Foram realizadas as atividades musicais conjuntas do coro britânico com o Coral da ECA e Coro de Câmara Comunicantus, além de de visitas de John Rink e Geoffrey ao Brasil e dos professores brasileiros ao Reino Unido.

“Durante as atividades, pudemos analisar os ensaios, as estruturas de coros, fizemos entrevistas com alunos de regência e coralistas, palestras, workshops. Essa vivência foi importante para os dois lados conhecerem melhor as práticas adotadas pelos centros. Eles também tiveram a oportunidade de estudar a música brasileira pouco conhecida fora do Brasil porque não há muitas gravações”, destaca Susana.

Lançamento CD
Os estudos dos pesquisadores ingleses sobre a música brasileira estimulou outro resultado do projeto. Em maio, foi lançado no Reino Unido o CD “Romaria”, pela gravadora Delphian Records, com repertório coral brasileiro contemporâneo, com participação do Gonville and Caius College Choir e preparação dos professores da ECA.

Marco Antonio e Susana foram os responsáveis pela consultoria que resultou na escolha das obras, na orientação dos aspectos estilísticos e contextuais e na pronúncia e dicção do português das obras interpretadas pelo Gonville and Caius College Choir.

“Esse repertório, praticamente desconhecido fora do Brasil, foi registrado pela primeira vez por um coro inglês, com sete obras nunca antes gravadas e muitas não publicadas. Há obras em latim, português, ligada à tradição africana, mostrando a diversidade musical do nosso país”, ressalta Susana.

Repertório
As obras que compõem o CD são “Moreninha, se eu te pedisse”, de Marco Antonio da Silva Ramos, “Romaria”, de Osvaldo Lacerda, “Cor dulce, cor amabile” e “Magnificat-Alleluia”, de Heitor Villa-Lobos, “Metaphors”, de Henrique de Curitiba, “Carimbó”, de Ernst Mahle, “Jubiabá”, de Carlos Alberto Pinto Fonseca, “Antiquae Preces Christianne”, de Ernani Aguiar, “Oráculo”, de Almeida Prado, “Ave Maria” de Claudio Santoro, “Ismália”, de Nibaldo Araneda e “Missa breve sobre ritmos brasileiros”, de Aylton Escobar.

A primeira obra, “Moreninha, se eu te pedisse”, é de autoria do professor Marco Antonio da Silva Ramos. “Foi gravado pela primeira vez, apesar de a peça já ter sido executada em Londres. É dele também a voz do narrador na música ‘Romaria’, de Osvaldo Lacerda, que dá nome ao CD, a partir de poema de Carlos Drummond de Andrade”, informa Susana.
A participação da pesquisadora incluiu uma nova edição do moteto “Cor dulce, cor amabile”, de Heitor Villa-Lobos, a partir dos manuscritos do Museu Villa-Lobos. A partir dos estudos da professora Susana chegou-se a uma nova trilha para a obra Metaphors (1973), de Henrique de Curitiba.

“A análise da obra e das diretrizes deixadas pelo compositor permitiu-nos a criação de um projeto sonoro e, com a colaboração da aluna Denise Hiromi Aoki, a trilha ganhou forma, a partir da seleção e organização de sons gravados da floresta Amazônica, incluindo o canto do lendário pássaro Uirapuru”, disse Susana.

O CD tem recebido críticas positivas dos órgãos da imprensa especializada e de sites musicais, como a BBC Music e o The Guardian. Elas podem ser conferidas no Blog do Comunicantus.

Informações para a aquisição do CD está disponível neste endereço eletrônico.

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Mais informações: (11) 3091-4005

Hérika Dias
Agência USP

Pin It