Concertos Petrobras-EPTV

No concerto, a ser realizado em 29 de Agosto, serão apresentados quintetos para clarinete e cordas de Mozart e de Brahms.

Com sua proposta permanente de levar música da melhor qualidade ao interior do Estado de São Paulo, a Temporada 2019 dos Concertos Petrobras-EPTV tem continuidade no dia 29 de Agosto, quinta-feira, com uma apresentação gratuita a ser realizada no Theatro Pedro II, em Ribeirão Preto.

No palco estarão o quinteto formado pelo clarinetista Paulo Sérgio Santos, os violinistas Abner Landim e Simone Elenciuc, o violista Horácio Schaefer e o violoncelista Roberto Ring.

É um time de peso: Paulo Sérgio Santos, mais de 40 anos de carreira, está entre os grandes clarinetistas da história da música brasileira. Os jovens violinistas Abner Landim e Simone Elenciuc são dois dos mais brilhantes músicos brasileiros da nova geração. Há dez anos vivem em Israel, estudando na célebre Escola de Música Buchmann-Mehta de Tel Aviv. Os veteranos Horácio Schaefer e Roberto Ring pertencem à elite da música clássica brasileira.

O grupo vai executar duas obras fundamentais do repertório de câmara: o "Quinteto para clarinete e cordas K.581" de Mozart, de 1789, auge do período Clássico; e o "Quinteto para clarinete e cordas Op. 115" de Brahms, escrito um século depois, no período Romântico.

A apresentação tem patrocínio do Ministério da Cidadania e da Petrobras.

Duas obra-primas – Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) escreveu diversas peças para cordas e um instrumento de sopro, entre elas o "Quinteto para clarinete e cordas em lá maior K.581". O compositor tinha especial predileção pelo o clarinete, então instrumento relativamente novo, o considerava perfeito para música de câmara com cordas. O "Quinteto para clarinete", também chamado "Quinteto de Stadler", foi escrito no final de 1789 para Anton Stadler, clarinetista da orquestra vienense da Corte. É uma das obras-primas máximas do repertório de câmara, com raro equilíbrio entre cinco instrumentos. Música de extraordinária beleza!
Aos 57 anos Johannes Brahms (1833-1897) acreditava ser hora de se aposentar como compositor. "Trabalhei bastante, deixo agora os jovens assumirem o controle". Meses depois, porém, ao ouvir Richard Mühlfeld tocar em um recital privado ficou seduzido pela sonoridade do virtuoso clarinetista. Retomou então o fôlego e, entusiasmado, voltou a compor, escrevendo quatro peças de câmara com o clarinete em destaque, entre 1891 e 1894 . O "Quinteto para clarinete e cordas Op. 115", de 1891, é obra-prima de grandes proporções, uma das mais belas já escritas para clarinete. Tem características marcantes do estilo de Brahms, com melodias e ritmos que remetem à cultura húngara.

Serviço

Ministério da Cidadania apresenta
Concertos Petrobras-EPTV
Paulo Sérgio Santos   clarinete
Abner Landim   violino
Simone Elenciuc   violino
Horácio Schaefer   viola
Roberto Ring   violoncelo

Programa

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)
Quinteto para clarinete e cordas em lá maior K.581

Johannes Brahms (1833-1897)
Quinteto para clarinete e cordas em si menor Op. 115

Ribeirão Preto
29 de Agosto, quinta-feira, 20h30
Theatro Pedro II
R. Álvares Cabral 370, Centro, tel. (16) 3977-8111
Ingressos: Entrada franca
Classificação: Livre para todas as idades
Realização: EPTV
Patrocínio: Petrobras

Paulo Sérgio Santos, clarinete
Paulo Sérgio Santos é considerado por muitos o maior clarinetista da história da música brasileira. Com mais de 40 anos de carreira, é desde 1975 membro de Quinteto Villa-Lobos – grupo com o qual gravou dezenas de discos e excursiona regularmente pelo mundo inteiro. Entre 1977 e 1995 foi primeiro clarinete da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Atua com desenvoltura em contextos de música clássica, choro e jazz. Com o grupo "O Trio", que formou  com Maurício Carrilho e Pedro Amorim, ganhou em 1995 dois prêmio Sharp – Melhor Grupo e Melhor Álbum de Música Instrumental. No mesmo ano recebeu também o prêmio Sharp na categoria Revelação Musical, por seu CD “Segura ele”. Tem trabalhado ao lado de grandes nomes da música popular brasileira, entre eles Guinga, Chico Buarque e Edu Lobo.

Abner Landim, violino
O jovem violinista Abner Landim tem uma carreira brilhante, com passagens por Osesp, Orquestra Municipal de São Paulo, Sinfônica de Ribeirão Preto e outras importantes orquestras brasileiras. Em 2009, depois de estudos de aperfeiçoamento com o Chaim Taub, em Israel, recebeu bolsa para estudar na Escola de Música Buchmann-Mehta, na classe de Hagai Shaham. Atualmente está terminando seu mestrado. Tocou como músico convidado da Orquestra Filarmônica de Israel em vários concertos, toca com frequência com o Tel Aviv Solists Ensemble e integra o Quarteto Brasileiro de Tel Aviv.

Simone Elenciuc, violino
Depois de concluir seus estudos musicais no Brasil, em 2007 a jovem violinista Simone Elenciuc foi aperfeiçoar-se em Israel com o Chaim Taub. Voltou a Israel em 2010 para dar continuidade a seus estudos de violino com Hagai Shaham na Escola de Música Buchmann Mehta (BMSM), onde se formou e atualmente está fazendo seu mestrado em performance.  É integrante do Quarteto Brasileiro de Tel Aviv

Horácio Schaefer, viola / Roberto Ring, violoncelo
Músicos de elite na cena musical brasileira, o violista Horácio Schaefer e o violoncelista Roberto Ring – junto com o violinista Pablo de León – fazem parte do trio que o núcleo musical do projeto Concertos Petrobras-EPTV.
Horácio Schaefer é chefe do naipe das violas da OSESP-Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.
Roberto Ring integrou a Orquestra Sinfônica de Campinas, a OSESP-Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a Orquestra de Câmara Villa-Lobos e, nos últimos anos, tem intensa atividade como músico de câmara.

Pin It