Fred Martins. foto: Miguel Muñiz

No dia 20/08, quinta-feira, cantor e compositor estreia show 'Para além do muro do meu quintal'

A Sala Funarte Sidney Miller, no Centro do Rio de Janeiro, recebe o cantor e compositor Fred Martins, com o show de lançamento do CD Para além do muro do meu quintal, no dia 20 de agosto, quinta-feira, às 19h, com ingressos a preços populares. No disco, participam músicos de vários países: Argentina, Espanha, Portugal, Angola Cabo Verde e Brasil.

O título, um verso de Alberto Caeiro (heterônimo de Fernando Pessoa), extraído do poema Noite de São João – também musicado dá nome ao primeiro álbum produzido por Fred na Europa. O trabalho foi gravado em Lisboa, Portugal, com produção musical do pianista e arranjador açoriano Paulo Borges e traz participação especial da cantora cabo-verdiana Nancy Vieira e do paulistano Renato Braz.

Com três CDs e um DVD lançados no Brasil, Fred Martins registra nesse novo álbum algumas das canções mais marcantes de sua trajetória. Elas que se tornaram indispensáveis nas apresentações do artista fluminense – inclusive aquelas que ficaram também conhecidos nas vozes de outros intérpretes, como Ney Matogrosso, Maria Rita, Renato Braz e Zélia Duncan. Fred explica que é um trabalho comemorativo, que reúne sua experiência no Brasil e pelo mundo fora; e também também parceiros e músicos que ele admira. Vivendo na Espanha (região da Galícia, há cinco anos), o artista acrescenta que o novo CD registra a impressão que ele teve da Europa. O disco – de música brasileira – dialoga com as culturas do Velho continente e traz as sonoridades experimentadas nas duas décadas de carreira do músico. “Reconhecer Brasil na Península Ibérica, nossos colonizadores, com sua música popular forte e poética, foi inspirador e ampliou as fronteiras da arte”, comenta ele.

Variedade instrumental somada a parcerias com poetas

O álbum traz o estilo arrojado e contemporâneo de Fred Martins. Ele combina fluidez e densidade estética, que dialoga com a bossa de João Gilberto e o samba de Paulinho da Viola; com Nelson Cavaquinho e Cartola – e inclui a influência do nordeste brasileiro, além de elementos do blues e do rock. Seguindo o pendor dos compositores de referência da música popular brasileira, a poesia aparece intensamente em todo o trabalho do autor, não apenas na canção poema que dá nome ao disco, como na parceria frequente com os poetas Marcelo Diniz (Depressa a vida passa), Manoel Gomes (Poema velho), Fred Girauta (Meu silêncio), Roberto Bozzeti (Terras do sem fim), Alexandre Lemos (Novamente) e Francisco Bosco (Sem aviso).

Tendo como fio condutor a voz e o violão de Fred Martins, as canções recebem tratamento camerístico e predominantemente acústico ou eletroacústico – com filtragem sonora, teclados “vintage” e o piano minimalista de Paulo Borges. O violoncelo de Sergio Menem ganha destaque, entre as percussões de Márcio Bahia, Alexandre Frazão e João Ferreira. A sonoridade árabe é acentuada pelo uso do cumbus (instrumento de cordas de origem turca). Também atuam neste disco os músicos Bony Godoy (baixo), Marcelo Martins (flautas) e Pedro Pascual (acordeão diatônico). O projeto gráfico tem assinatura do premiado artista Pablo Giraldez, o Pastor.

Fred Martins – perfil

Nascido no Rio de Janeiro, o cantor e compositor Fred Martins é autor de um repertório variado e muito relacionado com o “artesanato” da canção brasileira contemporânea. Destacado entre os artistas da sua geração, suas composições dialogam com o samba, a bossa nova e a música nordestina, pinçando também elementos do rock e de blues. Seu talento foi reconhecido no último Prêmio Visa de Música Brasileira, quando recebeu o prêmio máximo do júri, por unanimidade, e também venceu pelo voto popular. Por causa da premiação, ele gravou o especial de TV Tempo Afora (Canal Brasil), posteriormente lançado em DVD. Suas composições já foram gravadas por Ney Matogrosso, Renato Braz, Zélia Duncan e Maria Rita, entre outros. Seu primeiro CD Janelas foi lançado em 2001, seguido por Raro e Comum (2005), Tempo Afora (2008) e Guanabara(2009). Em 2011, gravou também Acrobata, em duo com Ugia Pedreira, na Galícia. Participou de vários festivais internacionais, como o Lula World Festival (Canadá); na Espanha, o Músicas Portuárias e o Cantos na Maré; o Jawhara Festival (Marrocos); e o Músicas do Mundo (Portugal), entre outros. Atualmente, participa como compositor e intérprete no espetáculo Utopia (inspirado na obra de Oscar Niemeyer), da Companhia de Flamenco de María Pagés, e trabalha o lançamento do CD Para além do muro do meu quintal.

Para além do muro do meu quintal – faixa a faixa

A faixa de abertura do CD Para Além do Muro do Meu Quintal é a inédita Terras do sem fim (parceria com Roberto Bozzetti). A música aborda o imaginário amazônico Brasileiro, a partir do poema de Raul Bopp Cobra Norato, com a participação preciosa do cantor Renato Braz. A toada-xote Novamente (Parceria com Alexandre Lemos, já gravada por Ney Matogrosso) passeia pela sonoridade ibérica influenciada pela colonização dos mouros, que também pousa no nordeste brasileiro. Os destaques são os pandeiros de Márcio Bahia, o som oriental do cumbus (Fred Martins) e o violoncelo de Sérgio Menem. Noite de São João (também incluída no DVD Tempo Afora) é um poema de Alberto Caeiro, que Fred Martins musicou e do qual foi extraído o verso que dá nome ao álbum: “Noite de São João/ Para além do muro do meu quintal/ Do lado de cá eu sem/ Noite de São João”. “Esta música é muito representativa do atual momento da minha vida, no qual gravo meu primeiro CD fora do Brasil”, comenta o artista.

A quarta faixa, Flores, de Fred Martins e Marcelo Diniz (conhecida na voz de Zélia Duncan), mostra a interpretação do autor para essa bela e divertida arquitetura poética. Já a melancólica Meu Silêncio (com Fred Girauta) mostra a perfeita harmonia da voz e do violão de Fred Martins para cantar a solidão. Com participação da cabo-verdiana Nancy Vieira, O Samba me diz (Fred Martins e Marcelo Diniz), gravada anteriormente por Regina Machado, é um samba com tratamento de bossa, com a clássica leitura da música brasileira apresentando a obra em primeiro plano.

Segundo Fred Martins, Poema Velho é a música mais nordestina do disco. É quase um lamento com letra de seu parceiro de longa data, o poeta Manoel Gomes. Já a oitava música, Telefonema (parceria com Marcelo Diniz), tem estética pop tropicalista, na qual o samba abraça o blues. Na sequência, vem outro samba tradicional: Sem Aviso (com Francisco Bosco) na “linha Nelson Cavaquinho” – gravado também por Maria Rita. Fechando o álbum, vêm duas músicas compostas com Marcelo Diniz. Ele e Fred, parceiros desde a adolescência, afastaram-se por 10 anos. Do reencontro musical deles nasceuTempo afora – a primeira da fase profissional do autor – e Depressa a vida passa,um soneto musicado. “Gosto das rimas que imprimem a idéia de tempo, que materializam o tempo onipresente”, conclui Fred Martins.

Serviço

Show

Fred Martins
Lançamento do CD Para além do muro do meu quintal

Dia 20 de agosto, quinta-feira, às 19h

Sala Funarte Sidney Miller
Rua da Imprensa, 16 – Castelo – Centro – Rio de Janeiro (RJ)
Tel: (21) 2279 8104

Ingressos: R$ 20 (meia: R$ 10)
Bilheteria: a partir das 16h
Duração: 75 min. Classificação indicativa: Livre

CD Para Além do Muro do Meu Quintal

Teaser: https://www.youtube.com/watch?v=7zfqdCc2iZE
EPK Completo: https://www.youtube.com/watch?v=QPLe9vkZxnY

Selo: Sete Sóis
Distribuição: Tratore - http://www.tratore.com.br/

Site do artista: http://www.fredmartins.mus.br/

Funarte

Pin It