Castelo Fiocruz

O Pavilhão Mourisco, mais conhecido pela população como "Castelo Fiocruz", é uma referência para quem passa pela Avenida Brasil, chegando ou saindo da cidade, indo ou voltando do trabalho. “Um castelo no meio da floresta”, dizem alguns. "Uma lembrança da infância", destacam outros. Ícone no imaginário carioca, o edifício é, também, um símbolo da ciência brasileira.

Nem todo mundo sabe, porém, que esse castelo guarda muitos tesouros. Mosaicos inspirados em tapeçaria árabe. Livros, fotos, documentos e objetos históricos. Coleções entomológicas que expõem insetos de várias regiões do Brasil. Detalhes arquitetônicos que, além de raros, testemunharam o nascimento e o desenvolvimento da saúde pública brasileira. Pois, em breve, será possível mesmo a quem nunca pisou no Rio de Janeiro fazer uma visita completa ao Castelo Mourisco. Tudo graças ao Tour 360, um passeio virtual desenvolvido pelo Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict/Fiocruz), em parceria com outras áreas da Fiocruz, como a Presidência, a Coordenação-Geral de Administração (Cogead), Bio-Manguinhos e Casa de Oswaldo Cruz (COC). O lançamento desse tour virtual ocorreu nesta sexta (31/5), durante as comemorações dos 119 anos da Fiocruz.

Produto web que pode ser acessado em computadores, tablets e celulares, a visita virtual ao Castelo Mourisco é repleta de surpresas. À medida que avança pelas escadarias e corredores da edificação, os internautas encontram ícones que abrem janelas com informações históricas, curiosidades e a descrição de detalhes arquitetônicos. Além disso, podem acessar as exposições, de forma similar ao que já é feito em ambientes virtuais de museus ao redor do mundo.

O responsável técnico pela criação do Tour 360 é Leonardo Oliveira, analista de sistemas do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação em Saúde (CTIC) do Icict/Fiocruz. Aficcionado por tecnologia, ele conta que sempre caminhou pelo campus de Manguinhos imaginando como poderia reproduzir, para o público online, as surpresas dessa caminhada. Queria fazer algo parecido aos tours virtuais de museus como o Louvre, na França, o de História Natural, nos Estados Unidos, o de Oscar Niemeyer, em Curitiba, o Museu Casa de Portinari, em São Paulo. O Castelo Mourisco já é aberto à visitação pública, e integra o roteiro de visitas guiadas que a Fiocruz oferece à população, de forma gratuita. O passeio virtual, porém, leva a um público ainda maior as belezas e histórias da construção. “O tour é um convite para que pessoas do Brasil e até do exterior conheçam melhor a história da Fiocruz. E uma forma, também, de aproximar ainda mais a população", afirma o analista.

Construção real

Além do CTIC, outros setores do Icict/Fiocruz integram o projeto do passeio virtual: a Biblioteca de Manguinhos, a Seção de Obras Raras, o Multimeios e a VideoSaúde. Da Casa de Oswaldo Cruz (COC), participam o Departamento de Patrimônio Histórico (DPH) e o Museu da Vida. Leonardo destaca o envolvimento de tantas equipes como o grande trunfo da empreitada: “O envolvimento de tantas áreas diferentes, da Fiocruz, foi essencial para a criação do tour”.

Diversidade e trabalho em equipe, afinal, são palavras-chave na trajetória do próprio castelo, que teve o esboço feito por Oswaldo Cruz, mas foi projetado pelo arquiteto Luiz Moraes Junior. Sua construção começou em 1905, e foi concluída em 1918. A inspiração neomourisca veio do Palácio de Alhambra, em Granada (Espanha), mas seu estilo é considerado eclético. Desde 1981, o conjunto arquitetônico do Castelo Mourisco é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico e, atualmente, é candidato a Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Fiocruz 360 graus

Para fazer jus a esse ícone que é o Castelo Fiocruz, Leonardo relata que foi preciso não apenas muito trabalho, mas também uma ajudinha da meteorologia. Usando um equipamento de última geração, a equipe precisou fazer inúmeras fotos não só do castelo, mas do campus. O que só teria o efeito desejado se a iluminação natural fosse a melhor possível. “Foram várias reuniões para definir o roteiro, os locais em que faríamos as fotos, o filtro de informações, a nossa adaptação à câmera de 360 graus. Fizemos muitos testes de iluminação, para que todos os detalhes ficassem nítidos o bastante. E tivemos que identificar os melhores horários do dia para os registros. Foram feitas mais de mil fotos", conta o analista. Parte dessas fotografias passou a integrar o Fiocruz Imagens, banco gratuito de registros visuais que é gerido pelo Multimeios, também do Icict/Fiocruz. A recém-lançada galeria Castelo Mourisco oferece mais de 400 fotos.

Costurando imagens e informações

O trabalho de costura de tantas informações foi meticuloso. A produção do Passeio Virtual em 360 graus do Castelo Fiocruz começou em outubro de 2018, e consumiu muitas horas de testes para que fosse acertada a viabilidade e a aplicabilidade do site. “O Tour Virtual (VT) em 360 graus do Castelo Fiocruz ficará ligado ao Portal Fiocruz”, explica Leonardo, acrescentando que a visita virtual é, também, uma forma de preservação histórica do Castelo.

Além do analista, integram diretamente o projeto a webdesigner Paloma Lima, a jornalista Daniele Souza e o fotógrafo Rodrigo Méxas. "Tivemos muito prazer em fazer esse trabalho, porque acabamos conhecendo, também nós, um pouco mais sobre a Fiocruz e o castelo”, festeja Leonardo.

Do mundo lá fora

Como as pessoas veem o Castelo da Fiocruz? O site do Icict/Fiocruz colheu algumas impressões daqueles que passam pelo campus Manguinhos da Fiocruz e veem o castelo – seja da Avenida Brasil, seja de dentro da Fundação. Nessas impressões, o que se destaca é uma memória afetiva, tendo o castelo como referência. A essas impressões unimos fotos da nova galeria do Fiocruz Imagens, pondo em foco parte dos belos tesouros que integram a construção. Confira aqui

Icict/Fiocruz

Pin It