Artes Plásticas

Nelson Leirner – O Porco

Exposição inaugurada no dia 27 de agosto reúne obras de artistas contemporâneos brasileiros – produzidas entre os anos 60 e 80 – para lembrar o tempo da rebeldia, a ditadura militar e também a explosão das cores do pop

Não dá para ver um porco empalhado e enjaulado em plena Pinacoteca sem se perguntar: “Isso é arte?”. Foi exatamente esta a questão levantada pelo seu próprio criador, o artista Nelson Leirner, ao júri que o aprovou, em 1966, para ser exposto no 4º Salão de Arte Moderna de Brasília. Uma pergunta divulgada através do extinto Jornal da Tarde, que, na época, levantou uma polêmica sobre os critérios da crítica de arte. Certo é que o

tecnologia e meio ambiente

"Vídeos e outros objetos digitais", de Daniel Duda, apresenta trabalhos em vídeos, objetos e fotografias no MAC

Abstrações digitais, matéria e imagem. De que maneira podemos construir a relação entre nossa nova "cultura de rede" e a infinita conectividade de nossa experiência diária?

A exposição "Vídeos e outros objetos digitais", de Daniel Duda, aborda como nossa "cultura de rede” e conceitos relacionados ao mundo digital estão intrinsicamente ligados às formas mais abrangentes no campo da experiência do ser humano no mundo. Para isso, utiliza-se de elementos da natureza como plataforma para explorar relações mais complexas entre tecnologia e meio ambiente. A abertura acontece no dia 01 de setembro, no Museu de Arte Contemporânea do

ECRAN CHAMBRE

Exposição é na galeria do Instituto de Artes da Unesp, em São Paulo, SP

A vídeo instalação de André Schütz, estudante do Instituto de Artes da Unesp, ECRAN CHAMBRE pode ser vista, de 15 a 20 de agosto, das 9 h às 20 h na Galeria do Instituto de Artes da Unesp, em São Paulo, SP. Haverá uma prorrogação em versão on line de 21 a 30 de agosto em https://vimeo.com/channels/ecranchamber

Texto da Esposição
“Não há o que temer na televisão, pois ela fica muito perto. E quando é preciso ficar tão perto da imagem, e ela é tão pequena, ela não causa medo. E o cinema, como a imagem causa medo, é grande, nós

A exposição no Instituto de Química de São Carlos

Em cartaz na Biblioteca do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP, mostra de 17 desenhos em nanquim sobre papel convida à introspecção

Os traços simples e a estética monocromática dão enredo à coleção de 17 obras, predominantemente em nanquim sobre papel, que estão em exposição até 25 de agosto na Biblioteca do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP. De autoria do artista plástico Rafael Zafalon, elas retratam “o devaneio artístico dos sentimentos, instigando a reflexão e libertando à crítica os pensamentos e constatações dos olhos que as vislumbram”, como afirma o próprio artista.

Intitulada O Surreal das Sensações, a mostra foi organizada pela Comissão de Cultura e Extensão

Claudio Tozzi, artista plástico

O artista e professor da USP é um dos 13 pintores brasileiros indicados para criar pôsteres que celebram a Olimpíada do Rio de Janeiro

Os atletas, no vigor da energia dos jogos olímpicos, são representados na vibração das cores vermelha, amarela, azul e verde da pintura Movimento, de Claudio Tozzi, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP. A sua tela integra a 31ª Olimpíada, a Rio 2016. “Fiquei muito contente pela minha arte estar na Olimpíada, com a de outros artistas que foram selecionados a partir da indicação dos principais museus do País”, conta Tozzi. “Serão 13 pôsteres, que estarão representando visualmente o evento e dando uma força para todos os

Artes e Etnias

Abertura: sábado dia 27 de agosto, das 10h às 13h, em São Paulo, SP

Participando da Jornada do Patrimônio organizada pela Prefeitura de São Paulo, a Casa Ranzini, em estilo florentino, de 1924, propriedade particular, abre suas portas para uma série de palestras, abertura da exposição de Percival Tirapeli, professor do Instituto de Artes da Unesp em São Paulo, SP, e lançamento de livro sobre a trajetória do artista. São obras sobre monumentos e ícones da metrópole, fundindo as linguagens figurativa e abstrata.

A exposição São Paulo Artes e Etnias de Percival Tirapeli é composta por dez pinturas com tinta acrílica, e mais um painel com colagem medindo 6 x 0,80 m. As telas figurativas e

Museu de Arte Contemporânea

Com projetos de gestão econômica e cultural, o novo diretor do MAC, Carlos Roberto Ferreira Brandão, pretende dinamizar a instituição e tornar seu acervo mais conhecido da sociedade

Com uma série de projetos para estreitar as relações com a cidade, incentivando a arte e a cultura, o Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP entra em uma nova fase. O novo diretor do museu, professor Carlos Roberto Ferreira Brandão, aplica a experiência de quatro décadas na USP – atuando em cargos como diretor do Museu de Zoologia (MZ) e vice-diretor do Instituto de Estudos Avançados (IEA) – para apresentar as pesquisas e o acervo de 11 mil obras do mais importante museu de arte contemporânea da

Picasso e suas múltiplas faces

São tantos Picassos para conhecer que o visitante, mesmo depois de observar as 153 obras organizadas por temas e ordem cronológica no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, tem a impressão de que o verdadeiro Pablo Picasso ainda está por se apresentar. Impressão provocada pela inquietude do próprio pintor, que dizia: “O que já fiz não me interessa. Só penso no que ainda não fiz”.

A mostra Picasso –Mão Erudita, Olho Selvagem traduz a busca e os múltiplos caminhos do artista. As obras pertencem ao Musée National Picasso-Paris e a grande maioria é inédita no Brasil. “São peças que Picasso decidiu conservar por toda a vida, a maioria das quais conviveu com ele. Por

Alex Flemming

Com suas malas coloridas entre versos de Manoel Bandeira, Carlos Drummond e Vinicius de Moraes, o artista está de partida para o futuro na exposição Retroperspectiva, no MAC, que reflete 40 anos de sua trajetória

Na mala laranja, Alex Flemming escreveu, com letras coloridas, o poema De tudo ficou um pouco, de Carlos Drummond de Andrade. É exatamente esse “pouco do medo, do asco, dos gritos gagos, da rosa, do silêncio e de tudo que fica um pouco” que a mostra Retroperspectiva sugere. Os paulistanos que vão ao Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP logo reconhecem o artista. Ao pintar, em 1998, os anônimos que vivem e trabalham em São Paulo nos painéis de

artistas de Ribeirão Preto

Dois artistas ribeirão-pretanos criam galeria virtual para propagar o acervo ao público internauta de forma facilitada, com inclusive possibilidade de aquisição de obras via internet

Os artistas de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, Adriana Amaral e Daré criaram uma plataforma de autogestão : a Plano A, que possui, como estratégia de ação, uma galeria virtual intercalada com ações físicas temporárias. Na galeria, acessada por meio do endereço eletrônico: http://www.galeriaplano-a.com/ estão reunidos resultados de exposições, intervenções urbanas, participações em feiras, eventos comunitários e institucionais, entre outras produções.

A galeria possibilita ainda uma ágil integração com o público internauta. Quem se interessa por uma tela, foto ou instalação pode manter contato com os artistas

de Gonzalo Fonseca

O artista Gonzalo Fonseca Torres inaugura, dia 19 de julho, a exposição de pinturas 'Intensa expressividade' na Reitoria da Unesp. A atividade se insere no Projeto 15x15, parceria entre a Unesp, por intermédio de seu Comitê de Artes e Cultura ligada à Pró-reitoria de Extensão Universitária, e a Associação Profissional de Artistas Plásticos de São Paulo.

Sobre a exposiçãoO trabalho plástico de Gonzalo Fonseca Torres caracteriza-se pela intensa expressividade como trata as pessoas e as relações humanas. Um de seus pontos maisfortes é justamente a maneira como se apropria das formas, trazendo aos olhos do observador uma realidade que muitas vezes não se quer ver.

A poética que o artista instaura se dá na