Artes Plásticas

Exposição Refugiados

Os artistas Dauri Diogo e Gileno Félix com a exposição Refugiados, vem através da arte chamar à atenção para uma tragédia que sempre acompanhou a humanidade e que tem se agravado com o mundo mais globalizado.

Dauri Diogo usa formas geométricas e múltiplas cores em seus trabalhos, há também figuras humanas em posição de reflexão e meditação, e em posição de busca que são marcas registradas do seu trabalho. Faz um neo-geo, cuja placidez a figura se encarrega de romper, seduzindo o expectador para uma arena psicológica carregada de intenções.

Trabalhadora de Cacau
Trabalhadora de Cacau - óleo sobre tela - 100x100 - Dauri Diogo
Infinito
Infinito - óleo sobre tela - 75x75 - Dauri Diogo
Trabalhos de Dauri Diogo

Gileno Félix usa técnica mista com cores intensas e

Miriam Nigri Schreier

São mais de trinta anos de atividade profissional. Mas Miriam Nigri Schreier continua em plena atividade criativa, e com a mesma energia da juventude. Em 7 de Agosto ela abre nova exposição individual, desta vez no espaço da Pinacoteca Benedicto Calixto, em Santos.

A mostra, que estará aberta a visitação até 22 de Setembro, apresenta um instigante conjunto de trinta e três trabalhos, metade deles produzidos nos três últimos anos. Estão reunidos sob o sugestivo título Cidades imaginárias, revelador da temática urbana que perpassa toda a obra recente da artista. A curadoria é de Carlos Zibel e Antônio Carlos Cavalcanti.

Predileção pelo vermelho – Como se vê na exposição Cidades imaginárias, o trabalho de Miriam

Briozoários

Imagem dos animais marinhos ganhou primeiro lugar em uma das categorias do Prêmio de Fotografia – Ciência & Arte do CNPq

A pós-graduanda Karine Bianca Nascimento, do Centro de Biologia Marinha (Cebimar) da USP, ganhou o primeiro lugar na categoria Imagens Produzidas por Instrumentos Especiais (Ópticos, Eletromagnéticos e Eletrônicos) da oitava edição do Prêmio de Fotografia – Ciência & Arte do CNPq.

A premiação foi criada em 2011 e tem como principal objetivo incentivar a produção de imagens relacionadas à temática de Ciência, Tecnologia e Inovação. Nas sete edições anteriores, 60 trabalhos oriundos de todas as regiões do Brasil foram premiados.

A imagem, intitulada pela autora como Briozoários: esculturas oceânicas em miniatura, mostra parte de

placas de aço

Duas placas de aço de 18,6 metros de altura, cada uma pesando 70 toneladas, formam a escultura Echo, concebida pelo escultor norte-americano Richard Serra e instalada de modo permanente no Instituto Moreira Salles (IMS), em São Paulo. A inauguração oficial aconteceu neste sábado, 23 de fevereiro, e a obra está aberta à visitação pública.

Para a instalação da obra em um espaço bastante reduzido (o terreno possui uma área de 120 metros quadrados) e de grande fluxo de veículos e pedestres (o centro cultural está localizado na quadra delimitada pela Avenida Paulista, Rua da Consolação, Rua Bela Cintra e Rua Antonio Carlos), equipes do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) forneceram apoio a uma série de

Escultura de Robert Muller

Tarsila, Anita e Brecheret, entre outros nomes do Brasil e do exterior, ocupam o prédio do museu no Ibirapuera

A passarela que liga o Parque Ibirapuera ao prédio do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP é a travessia para se conhecer a história da arte brasileira e internacional que se produziu desde 1951. Enquanto a 33ª Bienal Internacional de São Paulo apresenta Afinidades Afetivas reunindo cerca de 600 trabalhos e mais de cem artistas, o MAC traz o percurso dessa grande mostra – uma das mais importantes do circuito da arte internacional –  com as obras premiadas que marcaram a sua história e fazem parte do seu acervo.

Nessa ligação entre o passado e

Obra Mari

O evento terá a presença da cantora Warcela Gader 

No dia 04 de abril, quinta-feira, o Galpão das Artes Urbanas, na Gávea, apresenta a exposição ‘É, Maria, Maria’ sob a curadoria do artista plástico Herik Wooleefer e Ju Yao, com a produção da CAW, e participação de artistas nacionais e estrangeiros. A mostra tem como temática a violência contra a mulher, utilizando sempre variados resíduos como matéria-prima. Durante o evento, haverá apresentação da cantora Warcela Gader com composições de estilos como pop, hip hop e funk carioca e oficina de reuso gratuita para escola. A entrada é gratuita e será realizado na rua Padre Leonel França, s/n°, Gávea – em frente ao Planetário, a partir

MAC-USP

Estão abertas, até 28 de fevereiro de 2019, as inscrições para a seleção de projetos de exposições temporárias a serem realizadas no Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo (USP) no período 2019/2020.

Os objetivos do edital são incentivar a pesquisa contemporânea em artes visuais, apresentar trajetórias artísticas e valorizar e promover a arte moderna e contemporânea brasileira e do exterior com a intenção de torná-la acessível ao público. Serão selecionadas propostas de exposições individuais ou coletivas e projetos de curadoria de exposições.

Poderão participar do programa pessoas físicas e jurídicas envolvidas com as artes visuais. As pessoas físicas podem ser indivíduos ou representantes de grupo de artistas maiores de 18 anos.

 Alexandre Mavignier

Pedaços de escombros – tijolo, terras, telha, concreto e argamassa – colhidos pelo artista plástico paulistano Alexandre Mavignier no terreno da Igreja Evangélica Luterana de São Paulo, atingida no incêndio seguido de desabamento, no 1º de maio passado, do edifício Wilton Paes de Almeida no Largo do Paiçandu, em São Paulo, foram trazidos ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) no mês de outubro.

Para a moagem desses materiais em uma granulometria próxima de 45 µm (ABNT nº 325), foram utilizados os processos de trituração através de britador mandíbula, na sequência um moinho de disco e, para finalizar, uma moagem fina em moinho de disco vibratório ou em moinho de bolas, para a pulverização do material.

Em Diálogo

Projeto premiado pela Funarte é resultado do trabalho conjunto da fotógrafa Ana Angélica Costa e da performer Mariana Vilela

Duas artistas que têm se destacado na cena contemporânea, a fotógrafa Ana Angélica Costa e a performer Mariana Vilela apresentam, a partir de abril, na Casa de Eva, em Campinas (SP), a exposição Em Diálogo. A mostra, contemplada no Prêmio Funarte Artes Visuais – Periferia e Interiores, é resultado do trabalho conjunto feito pelas artistas. Com uma câmera artesanal analógica de longa exposição, Ana capturou diversas performances realizadas nos últimos meses por Mariana.

A exposição inclui também um vídeo sobre o processo criativo das artistas e conta um pouco das surpresas dessa produção. A abertura é

Artesanato com Fibra de Buriti

O Sesc Belenzinho apresenta, em janeiro, uma séries de cursos e oficinas grátis, que envolvem o mágico universo dos fios, integrando a programação de artes visuais da unidade. Trata-se do projeto Entre Fios e Meadas, que inclui tapeçaria, bordados, tecelagem e artesanatos, entre outros.

As atividades em questão são: Tapeçaria Contemporânea (15 a 18/01), Criação de Artesanato com Fibras de Buriti (22 a 25/01), Pingente em Mini Tear Caseiro (30 a 31/01), Bordado Manual em Camiseta (18 a 25/01), Macramê em Painéis Decorativos (26/01) e Pulseira de Miçanga em Tear Alternativo (29 e 30/01).

Acesse o portal e inscreva-se: Entre Fios e Meadas.

Entre Fios e Meadas é um projeto do Sesc Belenzinho que promove

Trabalho de Anton Schultz

Anton Schultz, baiano nasce à 15 de junho de 1953 em Salvador. Aos 15 anos inicia a sua caminhada nas artes visuais participando da abertura do Atelier Latino de Arte no Pelourinho onde hoje é a Casa de Jorge Amado.

Aos 18 muda-se para o Rio de Janeiro e passa a mostrar seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema, com grande sucesso.

De volta à Salvador entra no ambiente musical efervescente da cidade, gravando um disco para o Carnaval obtendo ótimo resultado o que o levou a ser convidado a fazer parte do trio Tapajós. Em 1980 fez parte do disco Ave Caetano ao lado de Luis Caldas, que nas palavras dele, foi o início