Próxima etapa do projeto é o estabelecimento de uma nova rede óptica de comunicações, com consistência e sem interrupções

Agilidade, modernidade e segurança. O novo Centro de Dados da Fiocruz, inaugurado em dezembro de 2015, é um passo importante para assegurar a qualidade em infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) que a instituição necessita. Com um data center totalmente certificado e com atuação ininterrupta, a Fundação conta agora com uma capacidade maior de processamento e armazenamento, elementos fundamentais diante do crescimento acelerado da utilização desses recursos na instituição.

“O Centro de Dados conta com uma estrutura protegida e tecnologicamente avançada, importante para uma instituição como a Fiocruz, que conta com um grande volume de dados e de alta complexidade, com arquivos não apenas de texto, mas de vários formatos, como pacotes de áudio e vídeo”, afirma o coordenador de Gestão de Tecnologia da Informação, Alvaro Funcia Lemme.

A inauguração do data center é o primeiro passo do projeto. A próxima etapa é o estabelecimento de uma nova rede óptica de comunicações, com consistência e sem interrupções. A terceira fase possibilitará a conexão a uma saída para a Internet de alto desempenho, com velocidade de 10GB/s, conectada às Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep). A Rede, resultado da parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e as fundações de apoio dos estados, ainda está em processo de implantação. 

A Redecomep tem o objetivo de implementar redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país. O modelo adotado baseia-se na implantação de uma infraestrutura de fibras ópticas própria voltada para as instituições de pesquisa e educação superior e na formação de consórcios entre as instituições participantes, de forma a assegurar sua auto-sustentação. Este modelo permitirá conexões ópticas entre todos os campi da Fundação.

Mais espaço

Em termos de capacidade de processamento, o data center teve um salto de 500 terabytes para 1,3 petabytes, podendo chegar até a seis petabytes em 2017. Vários projetos serão viabilizados, como a implantação de modernos recursos para computação em nuvem, megadados, mobilidade e redes sociais, favorecendo projetos inovadores em pesquisa, serviços de referência, coleções, informação e comunicação. No ensino, espera-se a ampliação do uso de recursos computacionais, da capacidade do Programa de Educação a Distância (EAD) e do Sistema de Gestão.

“Foi a competência científica que nos possibilitou ter chegado a este resultado excepcional, requerido em um Centro de Dados deste porte, com este grau de segurança e estabilidade”, destacou o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha. 

Blindagem

Na área da segurança, o Centro conta com ambiente blindado e testado para proteger o local de eventos como arrombamentos, explosões, tiros e incêndios. Em 2012, houve um acidente no antigo Centro de Processamento de Dados, localizado na Residência Oficial, provocado por um incêndio no sistema de ar-condicionado. O novo Centro foi validado pelo Gartner Group, a partir de uma parceria com o DataSUS. A certificação atende a mais de 60 requisitos.

As salas possuem dois no-breaks e um gerador próprio de energia, que garantirão o funcionamento dos equipamentos 24 horas por dia, e receberam proteção contra umidade, gases corrosivos, magnetismo e altas temperaturas. O data center foi construído em uma área de 260 m2, entre a Residência Oficial e a sede administrativa do Canal Saúde, no Campus Manguinhos. Foram investidos mais de R$ 32 milhões no projeto, que deve ser concluído em 2017.

Correio eletrônico

Os serviços do Sistema de Gestão Administrativa (SGA) e o correio eletrônico já começaram o processo de migração dos dados para o data center. Outros projetos serão incorporados, como os serviços da área de assistência, dos portais das unidades e a implantação da futura Nuvem Fiocruz.

Com o Centro de Dados, a Fiocruz terá o mesmo nível de TI de importantes instituições, como o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Universidade de São Paulo (USP) e o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), maior empresa pública de prestação de serviços em tecnologia da informação do país.

Certificação

O espaço está de acordo com as normas da ABNT NBR 15247 (Ambiente de armazenagem segura com classificação e método de ensaio de resistência ao fogo) e NBR 60529 (Proteção de equipamentos elétricos), devidamente acreditado pelo Inmetro e atendendo às necessidades da Fiocruz. Em relação a incêndios, a sala conta com o mais moderno e confiável sistema automático supressor de combustão do mundo, responsável por eliminar o calor até que a chama se apague.

Outro ponto essencial para as atividades é o circuito fechado de TV e o controle de acesso. O sistema conta com oito câmeras e monitora todas as áreas do Centro para detectar e registrar ocorrências anormais envolvendo a movimentação de pessoas. Já o controle de acesso é realizado por utilização da biometria, que, em áreas restritas, fornece maior segurança.

* Texto originalmente publicado na edição número 27 (JAN / FEV 2016) do jornal Linha Direta, veículo da Presidência da Fiocruz.

Leonardo Azevedo*
* Texto originalmente publicado na edição número 27 (JAN / FEV 2016) do jornal Linha Direta, veículo da Presidência da Fiocruz.

Pin It