Tecnologia

sistema de exploração de petróleo e gás

A FAPESP e a Equinor (antiga Statoil), empresa norueguesa do setor de energia, com atuação no Brasil nas áreas de óleo e gás e energia solar, lançaram nesta terça-feira (19/02), em um evento na FAPESP, o Centro de Pesquisa em Engenharia em Gerenciamento de Reservatórios e de Produção de Petróleo e Gás (ERC-RPM, na sigla em inglês).

O novo centro será sediado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e terá o objetivo de buscar soluções inovadoras para otimizar a produção e a eficiência de poços de petróleo, recuperar reservatórios e melhorar o gerenciamento da água extraída junto com o petróleo nas atividades de perfuração e extração.

Para constituí-lo, a FAPESP e a Equinor lançaram em

Logo Embrapa

A Associação Brasilieira de Produtores de Milho - Abramilho realiza nesta quarta-feira, 20/02, às 9h, na sede da Associação em Brasília, um Encontro Técnico com a participação dos produtores, representantes da indústria e da pesquisa, tendo como objetivo a troca de experiência para aplicação de tecnologias e desenvolvimento de produtos e processos com resíduos da cadeia produtiva e beneficiamento do milho.

Está na programação do debate a produção de biogás (energia elétrica e veicular) a partir da biomassa do milho em ciclo sustentável, tema que será apresentado pelo presidente da Abiogás, Alessandro Gardemann;  da Datagro, Plinio Nastari; da Castrolanda, Vinicius Fritsch; e pelo produtor rural Jan Haasjes.  Também será debatido o tema Etanol de Milho no

cultivar de arroz

Pesquisadores da Embrapa acabam de desenvolver uma cultivar de arroz irrigado que demanda 15% menos irrigação em comparação às cultivares de ciclos mais longos. Chamada de BRS Pampa CL, o novo arroz é destinado à Região Sul do Brasil e necessita de apenas uma aplicação de fungicida, caso necessário, pois apresenta resistência genética a fungos.

As cultivares convencionais, predominantes na lavoura gaúcha, são suscetíveis às principais doenças e demandam, em média, três ou mais aplicações de fungicidas. Somente esse diferencial impacta em uma economia de R$130,00 por hectare ao agricultor. Mais eficiente, a BRS Pampa CL é capaz de apresentar alta produtividade em solos mais pobres.

Por reduzir o emprego de químicos e o uso

Caverna de estocagem de gás carbônico

Um conjunto de tecnologias, que deve ter seus primeiros resultados aplicados em quatro anos, tem como objetivo resolver um dos maiores problemas da exploração de óleo e gás no mundo hoje: a emissão de dióxido de carbono (CO2) e metano (CH4) na atmosfera.

Resultado de uma patente depositada no ano passado, a inovação consiste em injetar o CO2 e o CH4 que sai dos poços durante a extração de petróleo em cavernas de sal, de forma a abater o gás carbônico da conta das emissões.

A primeira “caverna-piloto” pode estar pronta em 2022 e é resultado de pesquisas realizadas no Centro de Pesquisa para Inovação em Gás (RCGI), constituído pela FAPESP e pela Shell, com sede

raio

O aplicativo SOS Chuva, capaz de fornecer a usuários de smartphones informações precisas sobre a ocorrência de chuvas intensas e raios em diversas regiões brasileiras, foi o vencedor do Prêmio Péter Murányi 2019, edição Ciência & Tecnologia.

O serviço, que tem como objetivo reduzir a vulnerabilidade da população a eventos climáticos extremos e está disponível desde 2018, foi desenvolvido no âmbito de um Projeto Temático apoiado pela FAPESP e coordenado pelos pesquisadores Luiz Augusto Machado, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e Edmilson Dias Freitas, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP). Eduardo Guarino, do Inpe, coordena ao lado de Machado o desenvolvimento do SOS Chuva.

A

Rubens Maciel

A tecnologia atual das baterias de íons de lítio provavelmente não dará conta da grande demanda por energia das próximas décadas. Estima-se que em 2050 a eletricidade represente 50% da matriz mundial. Hoje esse índice é de 18%. Já a capacidade instalada para a produção de energias renováveis deve se tornar quatro vezes maior. Isso demandará baterias mais eficientes, baratas e amigáveis ao meio ambiente.

Uma das alternativas estudadas em várias partes do mundo hoje é a bateria de lítio-ar. Alguns dos esforços brasileiros na busca deste dispositivo foram apresentados durante o segundo dia da FAPESP Week London, realizada nos dias 11 e 12 de fevereiro de 2019.

“Fala-se muito hoje nos carros elétricos. Alguns

protótipo do Dune

Uma parte vital de um dos maiores experimentos da física de partículas atual foi desenvolvida no Brasil. O Arapuca é um detector de luz a ser instalado no Deep Underground Neutrino Experiment (Dune) – projeto que busca descobrir novas propriedades dos neutrinos, partícula elementar com muito pouca massa e que viaja a uma velocidade muito próxima à da luz.

O X-Arapuca é uma evolução do detector de luz criado pelos professores Ettore Segreto, do Instituto de Física Gleb Wataghin, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e Ana Amélia Bergamini Machado, pesquisadora colaboradora do mesmo instituto. O dispositivo foi apresentado durante o primeiro dia da FAPESP Week London (http://www.fapesp.br/week2019/london/), evento realizado nos dias 11 e 12

método rápido para avaliar potássio em soja

Cientistas da Embrapa Soja (PR) desenvolveram um teste que avalia na lavoura de soja a concentração de potássio (K), macronutriente fundamental para o desenvolvimento das plantas. A avaliação permite corrigir possíveis deficiências nutricionais com agilidade, pois substitui as atuais análises laboratoriais convencionais mais demoradas. Os pesquisadores ressaltam, porém, que as análises laboratoriais continuam sendo importantes para a avaliação dos demais nutrientes.

Chamada de Fast-K, a tecnologia, que será lançada esta semana durante o Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), utiliza um medidor portátil que analisa uma solução líquida feita com folhas de soja. A partir desse material, o equipamento interpreta e apresenta os resultados na hora, dispensando a diagnose tradicional que tem de ser feita

Telescópio fotométrico

Uma nova versão do Solar-T, telescópio fotométrico desenvolvido no Brasil, será embarcada na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) para medir as explosões solares. A previsão é que o Sun-THz, como foi nomeado o novo equipamento, seja lançado em 2022 e permaneça fazendo medições de forma constante.

O telescópio fotométrico trabalha numa frequência de 0.2 a 15 terahertz (THz), que só pode ser medida do espaço. Paralelamente, um outro telescópio, o HATs, será instalado na Argentina. O instrumento, que ficará pronto em 2020, vai trabalhar na frequência de 15 THz em solo. O HATs está sendo construído como parte de um Projeto Temático que tem como responsável Guillermo Giménez de Castro, professor do Centro

Samsung QLED 8K

A Samsung Electronics Co., Ltd. transformará o mercado global de sinalização digital por meio da qualidade de imagem da QLED 8K, com o lançamento dos primeiros produtos do setor na Integrated Systems Europe (ISE) 2019, em Amsterdã. A nova qualidade de visualização do display deverá impactar a indústria comercial de sinalização digital, trazendo novas e interessantes oportunidades. Além da QLED 8K, os participantes da ISE 2019 puderam experimentar o futuro da sinalização digital, incluindo as tecnologias The Wall 2019* e Multi-Link LED HDR*, tecnologia para sinalização

"Com a chegada da tecnologia 8K em displays de sinalização digital, as empresas podem oferecer uma qualidade de imagem inigualável para o público e de uma forma que antes

Frutas

Em setembro, a África do Sul recebeu o primeiro lote de mangas brasileiras. Foram 25 toneladas exportadas após cinco anos de negociações. A transação só foi possível graças ao tratamento hidrotérmico de frutas, uma tecnologia desenvolvida por uma rede de pesquisa liderada pela Embrapa há mais de duas décadas.

O obstáculo veio de decisões dos principais mercados importadores de frutas, que não aceitam a aplicação de produtos químicos para o controle da mosca-das-frutas (Ceratitis capitata), uma das maiores ameaças à fruticultura mundial por atingir diversos tipos e variedades de frutas.

Durante muito tempo, o Brasil só usava o controle químico para combater a praga, prática que fechou as portas de vários mercados internacionais que adotam