Tecnologia

Software beneficia pequena empresa do Distrito Industrial de São Carlos

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, estabeleceu uma parceria com uma fundição de pequeno porte e desenvolveu um software que reduz consideravelmente o tempo gasto para selecionar as peças para cada fusão no forno. O trabalho que era feito manualmente e levava em média 2 horas, agora demora, no máximo, 5 minutos. A parceria foi estabelecida com a Fultec Inox, uma fundição de pequeno porte localizada no Distrito Industrial de São Carlos.

Esta grande redução tem explicação: os pesquisadores visitaram a empresa, conheceram todo o processo de fundição, acompanharam as etapas e tiveram acesso a

Testes comparativos serão realizados nos vestiários da Raia Olímpica da USP

Aumentos na tarifa da energia elétrica e da água têm impactado o orçamento doméstico das residências brasileiras, onde o chuveiro elétrico é o principal vilão: ele é responsável por 30% do consumo total de eletricidade nas casas. A fim de saber qual sistema de aquecimento de água é mais econômico, a Escola Politécnica (Poli) da USP está construindo um Laboratório de Banho — o Laban — para testes comparativos dos modelos hoje existentes no mercado: solar, elétrico, gás e híbridos.

O Laban está sendo instalado nos vestiários femininos e masculinos da Raia Olímpica do Centro de Práticas Esportivas (Cepeusp) da USP, onde cerca de 600 pessoas tomam banho diariamente após a prática de atividades físicas. O

Euler tem 2.100 núcleos de processamento pode chegar a 4 mil após upgrade

Os cientistas e pesquisadores do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI), instalado na USP, em São Carlos, já têm à disposição um cluster computacional — um agregado de processadores ligados em rede — de grande porte para o processamento científico de alto desempenho. O Euler, como foi batizado, faz parte dos recursos aprovados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) para o CEPID-CeMEAI. Inicialmente, o sistema recebeu o nome provisório de “ICE-X”.

Em 2013, a Fapesp autorizou a compra de um equipamento inicial, além de um upgrade da máquina após dois anos da primeira aquisição. Foram destinados US$1,25 milhão para a compra da

Objetivo é traçar as melhores rotas para as embarcações no escoamento do óleo cru

No Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), sediado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, pesquisadores estudam roteamento de navios para a Petrobras. Previsto para terminar nos primeiros meses de 2016, o trabalho é um projeto de doutorado da aluna Gabriela Furtado, sob orientação do professor da Engenharia de Produção Reinaldo Morabito. Ambos são da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a iniciativa acontece em parceria com a Petrobras, empresa estatal de economia mista.

Um projeto anterior também orientado pelo professor Morabito já tinha sido concluído com a mesma estatal, a pedido da Agência Nacional do Petróleo. A pesquisa atual é um aprofundamento da

Suporte TecTotal

Formada pela joint venture entre Telefônica, IdeiasNet e Intel Capital, TecTotal quer democratizar e simplificar a tecnologia, e oferece gratuitamente até dezembro serviços de suporte técnico para computadores, tablets e smartphones para quem precisa e quer estar antenado com o mundo moderno.

A TecTotal, empresa líder na prestação de serviços de instalação, configuração, integração, segurança e suporte técnico de eletroeletrônicos e itens linha branca, sempre priorizando a inclusão digital, oferece até dezembro deste ano alguns de seus serviços gratuitamente ao público. Cada cliente poderá desfrutar totalmente grátis do um serviço de suporte técnico da TecTotal para smartphone, tablet ou computador.

Para estimular o uso dos aparelhos tecnológicos e fazer com que as pessoas aproveitem

dados geoespaciais

A Embrapa lança nesta terça-feira (29) sistema que reúne e disponibiliza informações sobre uso da terra, potencialidades produtivas e áreas de proteção, sob a perspectiva dos zoneamentos ecológico-econômicos dos nove estados brasileiros que compõem a Amazônia Legal. O Sistema Interativo de Análise Geoespacial da Amazônia Legal ( Siageo) é uma base de informações territoriais integradas que pode ser utilizada  para diversas finalidades.

O Siageo está disponível para gestores públicos, instituições de fomento, secretarias de estado e municípios e outros agentes que trabalham com o planejamento regional, além da sociedade em geral. Pode ser acessado na internet e permite um maior conhecimento sobre o território amazônico. O trabalho foi desenvolvido no âmbito do Projeto Uniformização

Durante as tempestades que aconteceram nos dias 7 e 8 de setembro, em São Paulo, os pesquisadores do Elat registraram 14 raios ascendentes

Além de saber por meio dos serviços de previsão do tempo existentes no Brasil se devem carregar um casaco ou um guarda-chuva ao sair de casa, os moradores de todas as regiões do país também poderão ser alertados do risco de estarem expostos a raios durante uma tempestade e tomar medidas de proteção.

É que pesquisadores do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), desenvolveram um sistema capaz de prever a ocorrência de raios com 24 horas de antecedência.

Resultado do projeto “Detecção de sinais de variabilidade relacionados a mudanças climáticas na incidência de descargas atmosféricas no Brasil”, apoiado pela FAPESP, o sistema estará disponível no próximo verão –

Modelo criado pode reconhecer os diferentes sexos dos mosquitos

Quem nunca foi perturbado, no meio de uma noite de sono, pelo zumbido irritante e característico de um inseto? Esse som da batida das asas é a chave para que os pesquisadores possam identificar um inseto. Ensinar o computador a reconhecer esse som e a classificar automaticamente as espécies foi o desafio que mobilizou Diego Silva durante seu mestrado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. O método criado por Silva já está sendo aplicado em um sensor e uma armadilha que poderão contribuir para combater a dengue, a malária e diversas pragas agrícolas em um projeto coordenado pelo professor Gustavo Batista, do ICMC, que foi orientador de

Máquina de gelo funciona por meio de energia solar fotovoltaica e sem bateria

Comunidades ribeirinhas da região Amazônica estão se beneficiando do resultado de um projeto de pesquisa científico iniciado a partir da necessidade dessas próprias populações: máquinas de gelo que utilizam apenas energia solar fotovoltaica. O diferencial do equipamento desenvolvido pelo Laboratório de Sistemas Fotovoltaicos, do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da USP, é dispensar o uso de bateria para armazenamento de energia.

A máquina de gelo é uma adaptação de um equipamento comercial. Ao invés de um cabo para conexão em tomadas ou baterias, ela é ligada diretamente a um gerador com 60 módulos fotovoltaicos. Esses módulos possuem células sensíveis à luz e de material semicondutor. A luz solar incide sobre as células, os

Após a fixação da prótese, o tucano passou a se alimentar normalmente

Pesquisador da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP conseguiu devolver a um tucano-de-bico-verde (Ramphastos dicolurus) a capacidade de se alimentar normalmente, ao fixar no bico do animal uma prótese feita a partir de uma impressora 3D.

A ave apresentava uma deformidade no bico superior que dificultava a sua alimentação. No final de agosto, em procedimento coordenado pelo doutorando Roberto Fecchio, do Departamento de Cirurgia da FMVZ, a prótese 3D foi fixada com resina no bico afetado do tucano. Poucas horas após o procedimento, o animal já estava se alimentando normalmente. A ave foi apreendida pela Polícia Florestal no início de 2013 e encaminhada ao Centro de Pesquisa, Triagem e Reabilitação de

O polímero politiofeno poderá recuperar a sensibilidade à luz da retina

Pesquisa do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP demonstra que o polímero politiofeno, normalmente utilizado em células solares orgânicas para absorver luz, é um forte candidato para realizar a recuperação da sensibilidade à luz da retina. Esta região do globo ocular é responsável por captar as imagens e transmiti-las ao nosso cérebro através de moléculas que absorvem luz e transferem carga elétrica aos neurônios. O objetivo do trabalho é desenvolver um filme polimérico bastante fino e flexível, depositado sobre um substrato de seda (biocompatível), de modo que possa substituir a camada fotossensora da retina.

O estudo é realizado pelo professor Paulo Barbeitas Miranda, do Grupo de Polímeros “Prof. Bernhard Gross” do