Tecnologia

Nova fonte de luz síncrotron brasileira apresenta 13 novos desafios tecnológicos; empresas estabelecidas em São Paulo podem se candidatar a solucioná-los com auxílio da FAPESP

As micro, pequenas e médias empresas de base tecnológica estabelecidas no Estado de São Paulo poderão se candidatar a solucionar desafios incomuns apresentados pelo Sirius – a nova fonte de luz síncrotron brasileira, em construção no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), em Campinas, no interior paulista.

Um desses desafios, por exemplo, é desenvolver uma espécie de robô para monitorar os 520 metros de circunferência do anel do acelerador de elétrons.

Dotado de câmeras e sensores, o robô percorreria sobre trilhos toda a extensão do acelerador principal do Sirius, registrando imagens e medidas, como temperatura e vibração no interior do túnel onde o equipamento será instalado.

Com o auxílio do robô, a equipe de

Os filtros de algodão e poliéster, presos apenas em um dos lado do suporte

Uma dissertação de mestrado da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP propõe a criação de filtros de fibras flexíveis de algodão e de poliéster para fins de tratamento de água. A engenheira ambiental Thalita Fagundes, buscou adaptar à realidade brasileira uma tecnologia recentemente criada na Coreia do Sul e Europa, de alta eficiência e rendimento. O estudo concluiu que os fios usados na indústria têxtil tiveram a eficácia que, acompanhada da redução do uso de produtos químicos e de menor uso de espaço, podem ser uma solução para a redução de custos para o abastecimento público de água.

A análise consiste em filtros cujos leitos filtrantes (seu recheio, onde o processo em si ocorre)

Equipamentos sao essenciais no controle de processos da indústria da mineração

O Laboratório de Caracterização Tecnológica (LCT) da Escola Politécnica (Poli) da USP é uma facilidade multiusuário que pode ser usada tanto por pesquisadores, como centros de pesquisa e desenvolvimento privados, pois conta com equipamentos de última geração, essenciais na pesquisa e no controle de processos da indústria da mineração, além da caracterização de materiais. No dia 4 de novembro, foi realizada a solenidade de reinauguração do LCT. Estiveram presentes autoridades da USP e professores, alunos e funcionários da Poli.

As novas instalações foram apresentadas ao reitor da USP, Marco Antônio Zago, ao vice-reitor, Vahan Agopyan, ao pró-reitor de Pesquisa da USP, José Eduardo Krieger, ao diretor da Escola Politécnica, José Roberto Castilho Piqueira, e

Carlos Alberto Mariottoni e Paulo Sérgio Franco Barbosa

A Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) está à frente de um projeto internacional de pesquisa e desenvolvimento na área de energia supervisionado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Intitulado “Smart Sen: um modelo de simulação do sistema elétrico nacional com presença de geração de renováveis intermitentes – impactos operacionais, regulatórios e custos”, o projeto deverá ter duração de três anos e será desenvolvido em cooperação com a Princeton University, Estados Unidos. A iniciativa já conta com financiamento no valor de R$ 8 milhões de mais de dez empresas do setor elétrico nacional, sob a liderança da AES.

A proposta é desenvolver um modelo computacional de grande porte para coordenar a

Divulgação/CDMF

O vice-diretor do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), professor José Arana Varela, participou de uma reunião sobre materiais para transmissão de energia em Munique, na Alemanha. O evento reuniu mais de 600 pessoas – a maioria do setor empresarial – vindas de 70 países entre os dias 18 e 21 de outubro. Na ocasião foram discutidas estratégias de aplicação industrial de um novo componente que pode aumentar a vida útil e a segurança de para-raios em linhas de transmissão de energia elétrica.

Varela, que também é diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo (CTA) da FAPESP, contou que as empresas se mostraram interessadas em aplicar a nova tecnologia, que já vem sendo estudada pelo Centro

Microscopia de Força Eletrostática de um Varistor de Óxido de Estanho., mostrando que 85% das barreiras de potencial são efetivas

Pesquisadores do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela FAPESP, participaram do 2015 INMR World Congress, em Munique, na Alemanha, para demonstrar o potencial de aplicação de um novo varistor que poderá aumentar a vida útil e a segurança de linhas de transmissão de energia elétrica. O evento reuniu mais de 600 pessoas – a maioria do setor empresarial – de 70 países entre os dias 18 e 21 de outubro.

Varistores são equipamentos que protegem as linhas de transmissão em caso de oscilação de tensão. São, em geral, constituídos por uma cápsula de material cerâmico dentro da qual são superpostas pastilhas formadas

Este é o segundo projeto do Núcleo de Computação Científica com a empresa

O Núcleo de Computação Científica (NCC) da Unesp foi homenageado nesta quinta-feira durante a Intel Innovation Week pela parceria firmada com a empresa de tecnologia na capacitação de profissionais para a modernização de códigos no Brasil. O analista de computação científica, Rogério Luiz Iope, recebeu o prêmio em nome do núcleo.

Este é o segundo projeto estabelecido pelo núcleo em parceria com a empresa. Desde o ano passado, o NCC trabalha em parceria com Fermilab, nos Estados Unidos, e o CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), localizado na fronteira entre França e Suíça. O grupo atua na otimização de código de ferramentas utilizadas pelos dois renomados centros de pesquisa.

A homenagem foi um

Armadilha permitirá classificação de insetos machos e fêmeas pelo bater das asas

Cientistas do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, desenvolveram um sistema que permite monitorar e diferenciar espécies e sexos de insetos de acordo com o som emitido por suas asas. A pesquisa que originou o sistema foi desenvolvida no ICMC pelo professor Gustavo Batista. No estudo, foi desenvolvida uma armadilha diferente das utilizadas atualmente: ela não gruda nem mata os insetos e não precisa de um biólogo para fazer as classificações.

Utilizando a inteligência computacional, Batista pretende que as espécies sejam classificadas só com a nova ferramenta. A armadilha consiste em uma caixa de vidro que

colheita de cana

À exceção do Brasil, os demais países da América Latina e Caribe que plantam cana-de-açúcar utilizam a cultura para produzir prioritariamente o açúcar. Estudo desenvolvido pelo Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético (Nipe) da Unicamp, no contexto do projeto temático Contribuição de Produção de Bioenergia pela América Latina, Caribe e África (LACAf), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), acaba de concluir que a planta também apresenta grande potencial para a geração de bioenergia (etanol e eletricidade) na região. De acordo com a pesquisa, quase todos os 15 países analisados teriam condições de substituir 10% da gasolina por etanol, caso o biocombustível passasse a ser produzido a partir de um

Centro de Desenvolvimento Tecnológico de Aeronáutica - Embraer, no Parque Tecnológico de São José dos Campos

A cidade de Sorocaba (a cerca de 100 quilômetros de São Paulo) vem atraindo, nos últimos anos, empresas como a Toyota, que inaugurou em 2012 sua terceira fábrica no país e trouxe, a reboque, 13 fornecedoras de componentes e de serviços automotivos (sistemistas) ao município paulista.

Segundo Erly Domingues de Syllos, diretor de tecnologia e inovação do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e presidente do conselho de administração da Agência de Desenvolvimento e Inovação de Sorocaba (Inova Sorocaba), um dos fatores que contribuíram para a cidade do interior paulista entrar no radar de investimentos da montadora japonesa e de outras empresas é o fato de possuir um parque tecnológico.

“Além

Photon-Citrus analisa saúde da planta por meio da análise da luz refletida

Um aparelho pouco maior que um tablet e de fácil manuseio é a nova ferramenta para a detecção precoce da principal doença que assola os citros: o huanglongbing (HLB), conhecido também como greening. Desenvolvido pela Embrapa Instrumentação (SP), o Photon-Citrus analisa laranjeiras, limoeiros e outros citros por meio da leitura de um laser disparado contra algumas folhas dessas plantas.

O uso da fotônica no combate à doença rendeu, em outubro, o Sustainability Innovation Student Challenge Award (SISCA), ou Dow-USP Sustentabilidade, à mestranda Anielle Ranulfi, bolsista da Embrapa que concorreu com outros 80 participantes, e foi eleito "trabalho destaque" do 9º Simpósio de Lasers e suas Aplicações, realizado em Recife (PE), no mês de setembro.