Tecnologia

GIP e WeR_USP foram desenvolvidos na STI, da USP

A tecnologia é capaz de apresentar soluções para minimizar trâmites burocráticos que envolvem as atividades científicas, permitindo ao pesquisador destinar seu tempo para o que é mais importante: produzir ciência. Pesquisadores assumem uma sobrecarga extra de trabalho ao ter que gerenciar aportes vultosos de recursos financeiros vindos de agências de fomento que exigem, no decorrer da pesquisa, a elaboração de relatórios, prestação de contas, assinatura de cheques, realização de compras, além de entradas e saídas de dinheiro. Para facilitar e modernizar algumas dessas etapas, a Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) da USP, a pedido da Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP) da USP, desenvolveu dois sistemas de gerenciamento de pesquisas: o Gestão da Informação de Projetos

próteses em 3D

Na era em que a tecnologia serve para auxiliar as pessoas, facilitando suas vidas e contribuindo para que novas coisas sejam vivenciadas, quem possui algum tipo de deficiência (auditiva, motora ou visual, por exemplo) só tende a se beneficiar das descobertas tecnológicas.

Agora, pessoas que antes poderiam ser consideradas até mesmo inválidas, por conta de sua condição, conseguem buscar uma formação no ensino superior, além de trabalhar, escrever, constituir família, ou seja, conseguem superar seus limites e realizar tudo que uma pessoa considerada “normal” pode fazer, com uma única diferença: elas os fazem de um jeito especial, só delas, o que, no final das contas, deixa tudo ainda melhor.

Entretanto, o cenário economicamente instável

InsulinAPP é a ferramenta desenvolvida para celulares smartphones e tablets

A Clínica de Endocrinologia e Metabologia do Hospital das Clínicas (HC), da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), acaba de lançar um aplicativo que irá auxiliar médicos e enfermeiros a realizarem controle glicêmico intensivo em pacientes internados.

Trata-se do InsulinAPP, ferramenta desenvolvida para celulares smartphones e tablets capaz de calcular as doses hospitalares de insulina necessárias para um determinado paciente, em menos de 2 minutos. Basta o profissional inserir alguns dados do doente para obter as informações.

Segundo a doutora Márcia Nery, chefe do ambulatório de Diabetes e idealizadora do projeto, o controle glicêmico intensivo reduz, a curto e a longo prazo, a morbidade, o tempo de internação, a necessidade de internação em unidade

Bruno Fischer

O sucesso dos projetos colaborativos no âmbito da inovação depende mais da capacidade dos envolvidos (empresas e instituições públicas e privadas) de gerenciar problemas que da competência técnica para gerar novos produtos e processos. A conclusão faz parte da pesquisa de pós-doutorado do pesquisador Bruno Brandão Fischer, desenvolvida junto ao Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT) do Instituto de Geociências (IG) da Unicamp. “As questões tecnológicas são necessárias, mas insuficientes para o êxito das redes de pesquisa e desenvolvimento”, afirma o autor do trabalho.

A pesquisa realizada por Fischer contemplou Redes de P&D europeias, mais especificamente da Espanha, França, Alemanha, Itália e Reino Unido. Estas, de acordo com ele, são constituídas tanto por

Plataforma permite localizar no mapa qualquer escola da Região Metropolitana de São Paulo, disponibilizando informações sobre notas obtidas nos exames nacionais, instalações, entre outras

O Centro de Estudos da Metrópole (CEM), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela FAPESP, disponibilizou ferramenta totalmente on-line formulada especialmente para que o visitante possa conhecer muitos aspectos ligados às escolas da Região Metropolitana de São Paulo.

A plataforma, de livre acesso, permite localizar no mapa de qualquer escola, disponibilizando informações sobre notas obtidas nos exames nacionais, as instalações (laboratórios, quadras de esportes, biblioteca) e as condições socioeconômicas dos alunos.

O aplicativo também permite comparar essas informações com as de outra escola. Conta, ainda, com um glossário que explica as informações disponíveis no aplicativo e vídeos em que pesquisadores do CEM explicam questões importantes sobre a relação das escolas

O projeto de um dispositivo de limpeza operado por controle remoto foi umas das pesquisas apresentadas em Rio Claro pela delegação colombiana

Um grupo de pesquisadores colombianos esteve em outubro no campus de Rio Claro para apresentar alguns dos trabalhos desenvolvidos no país na área de Tecnologia da Informação. As atividades fizeram parte do Workshop Brasil-Colômbia de Cooperação Universitária em TI, que integrou dois dias da programação da Semana da Ciência da Computação (SECCOMP) organizada no Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE).

Um dos trabalhos apresentados foi uma metodologia desenvolvida pelo docente colombiano Alexander González Nuñez para avaliar o impacto da terceirização dos serviços de TI nas organizações. Além dele, Richard Mora Pañuela e Julio César Rosero Porras apresentaram o projeto de um dispositivo de limpeza operado por controle remoto. Os três são vinculados à

Grand Shooter, game que está sendo desenvolvido para tablets e smartphones

Criar um jogo eletrônico e abrir a própria empresa é um sonho que têm se tornado realidade para estudantes e ex-alunos do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos. Eles estão trabalhando no desenvolvimento de jogos tanto para smartphones quanto para consoles de videogame, obtendo destaque no mercado.

Um exemplo é o ex-aluno Tales Sampaio. A possibilidade de ter uma formação sólida para criar o próprio game o motivou a ingressar no curso de Sistemas de Informação do ICMC. Inspirado nos jogos de tiro Time Crisis e Virtual Cop, o artista 3D está desenvolvendo o game Grand Shooter para tablets e smartphones.

Em desenvolvimento há cerca de dez meses,

TTP: ação do vento é simulada em veículos com velocidade superior à do som

O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), sediado no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) em São José dos Campos (SP), conta com três túneis de vento para diferentes simulações. Situados na Divisão de Aerodinâmica (ALA), cada um dos túneis é capaz de realizar diferentes ensaios em modelos de objetos que são expostos a diferentes intensidades de vento.

Uma das instalações é o Túnel Transônico Piloto (TTP), que simula a ação do vento em veículos que chegam a ultrapassar a velocidade do som. “Ele simula veículos a velocidades entre 80% da velocidade do som e 20% acima dela. As aeronaves comerciais, em voo de cruzeiro, viajam exatamente nesse regime — cerca de 890 km/h”,

Ligas metálicas adicionadas de boro mostram maior magnetostricção em testes

Uma dissertação de mestrado da Escola de Engenharia de Lorena (EEL) da USP buscou encontrar novos materiais que possam ser utilizados como sensores e atuadores (elementos que produzem movimento, a partir de comandos manuais, elétricos ou mecânicos), levando em conta o custo e a maior magnetostricção dos materiais, criando um transdutor para a realização dos testes. A magnetostricção é um fenômeno físico na qual os materiais se deformam fisicamente (dilatam ou contraem) somente com a aplicação de um campo magnético, que interage com a componente magnética dos átomos do material, gerando um afastamento ou aproximação.

Sob a orientação da professora Cristina Bormio Nunes, o engenheiro de materiais Mateus Botani pesquisou ligas de ferro e

Superfícies de cilindros de motores utilizados atualmente no mundo. Nos veículos 1.0 brasileiros, os mais usados são o Plateau honing e o Smooth Peak.

A otimização dos motores flex-fuel tornou-se um urgente desafio tecnológico no momento em que o etanol veicular se afirma, cada vez mais, como alternativa para a redução das emissões de CO2 e outros poluentes. No Brasil, quase 90% dos veículos leves licenciados em 2014 já dispunham da tecnologia flex-fuel. E, embora de forma menos vigorosa, a transição dos combustíveis fósseis para os biocombustíveis está em curso em muitos outros países, principalmente por meio do aumento do percentual de etanol acrescentado à gasolina.

Nesse contexto, os trabalhos apresentados por pesquisadores brasileiros no Leeds-Lyon Symposium on Tribology (LLST) de 2015 mostraram o quanto o país avançou no estudo dos impactos causados nos motores pelos biocombustíveis. “O

Em 2014, mais de 4 milhões de pessoas morreram vítimas de complicações da doença

Segundo a Federação Internacional de Diabetes (IDF), cerca de 4,9 milhões de pessoas morreram em 2014 vítimas de complicações causadas pela doença. Para reverter esse quadro, o Grupo de Bioeletroquímica e Interfaces do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP está desenvolvendo um biochip, implantável no organismo, capaz de detectar os níveis de açúcar no sangue e alertar o paciente e o médico sobre as medições, em tempo real.

As pesquisas começaram por volta de 2008, lideradas pelo professor Frank Nelson Crespilho. O biochip consiste em duas fibras de carbono que são inseridas em um cateter e posicionadas dentro da veia. À medida que o sangue passa através do dispositivo, o chip