Tecnologia

Asteroide 99942 Apophis

Um veículo espacial é conectado a um cabo de 100 quilômetros de comprimento, ancorado em um asteroide. Preso por esse space tether, como é chamado esse tipo de cabo espacial, o veículo pode ter sua trajetória alterada em muitos quilômetros, ganhando energia durante o processo de rotação, até finalmente se desconectar, sendo impulsionado em outra direção e podendo até mesmo sair do Sistema Solar.

A viabilidade teórica dessa manobra espacial foi apresentada na Sixth International Conference on Tethers in Space, realizada na Universidad Carlos III, em Madri, na Espanha, de 12 a 14 de junho. O trabalho rendeu à autora, Alessandra Ferraz Ferreira, o prêmio Mario Grossi, criado para homenagear o jovem cientista que apresentasse

NutraSolve

O fim das cápsulas está próximo. É isso que promete a startup brasileira Yosen Nanotechnology, que desenvolveu uma tecnologia de nanopartículas capaz de aposentar as cápsulas, muito utilizadas no setor alimentício e de suplementação. A startup está sediada no Supera Parque, localizado na USP, em Ribeirão Preto.

O que hoje precisa ser encapsulado poderá ser aplicado livremente em qualquer produto, como um copo de água ou suco, inclusive sem deixar resquícios, seja de cor ou aroma. Com a tecnologia, até mesmos óleos são diluídos em água. O sistema inovador  promete ainda aumentar a absorção de nutrientes em até dez vezes, em alguns casos.

As nanopartículas desenvolvidas pela empresa podem ser incorporadas em qualquer alimento, seja

Participantes da Escola São Paulo de Ciência Avançada

A chamada revolução dos dados possibilitou muitos avanços. Conceitos das ciências de dados, como big data, aprendizado de máquina e inteligência artificial, tornaram-se triviais e, na prática, permitiram o surgimento de inúmeras soluções tecnológicas capazes de amparar tomadas de decisão. A matemática tem despontado como ferramenta para driblar os pontos cegos desse processo, minimizando preconceitos e análises estatísticas enviesadas.

O tema foi debatido por especialistas durante a mesa-redonda de abertura da Escola São Paulo de Ciência Avançada sobre Aprendizado de Dados, realizada de 29 de julho a 9 de agosto no Centro de Difusão Internacional (CDI) da USP. O evento teve apoio da FAPESP e organização do Instituto de Matemática e Estatística (IME-USP).

“A matemática

Instituto de Pesquisas Tecnológicas

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) lançou na quarta-feira (31/07), em um evento na sede da instituição, em São Paulo, o programa IPT Open Experience.

O programa permitirá que empresas de todos os setores econômicos, que demandem soluções de alta intensidade tecnológica, possam instalar centros de pesquisa e desenvolvimento (P&D) no campus do IPT, conectados à infraestrutura de tecnologia e de negócios da instituição.

“O espaço do IPT será compartilhado com empresas de médio e de grande porte, startups e ICTs [instituições de ciência e tecnologia]”, disse Jefferson Gomes, presidente do IPT, na cerimônia de lançamento do programa, da qual participaram o governador do Estado de São Paulo, João Doria, e a secretária estadual de

IBGE

O Centro de Estudos da Metrópole (CEM), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP, lançou a plataforma DataCEM, que disponibiliza microdados dos Censos Demográficos realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) entre 1960 e 2010.

Segundo o CEM, a plataforma reduz custos de pesquisadores no tratamento de dados censitários. Ao disponibilizar os microdados do Censo, o DataCEM permite ao pesquisador produzir suas próprias tabelas.

Microdados são bancos de dados que contêm o maior detalhamento possível das informações coletadas. No caso do Censo, são os registros dos domicílios e pessoas entrevistadas. Os microdados podem ser agregados para obter informações sobre unidades maiores, conforme desejado pelo usuário: distritos, municípios,

Equipe da USP

Um carro autônomo virtual criado por seis alunos de pós-graduação e dois professores da Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos obteve o melhor desempenho em três das quatro categorias do Desafio de Direção Autônoma Car Learning to Act (CARLA), competição internacional patrocinada por empresas como Amazon, Waymo-Google, Volkswagen, Uber, Audi, Toyota, GM, Intel e Computer Vision Center, entre outras que estão desenvolvendo tecnologia para veículos autônomos.

O desafio reuniu 211 participantes em 69 equipes de instituições de ensino e empresas de vários países, como as universidades de Michigan e Washington, dos Estados Unidos, Nagoya e Chubu, do Japão, e Mines ParisTech, da França, e a fabricante de autopeças Valeo. O time da

satélite

Um satélite do tamanho de um pão de forma coletará dados durante um ano sobre os aerossóis atmosféricos e sua influência na formação das nuvens na Terra.

O pequeno satélite foi desenvolvido pelo grupo liderado por Vanderlei Martins, professor da University of Maryland, Baltimore County (UMBC), nos Estados Unidos, com apoio da Nasa, a agência espacial dos Estados Unidos. Aerossóis são pequenas partículas suspensas na atmosfera terrestre, como poeira, sal marinho e pólen, mas também incluem aquelas de origem antropogênica, como fuligem de queimadas e poluição urbana. Martins foi bolsista de doutorado e de pós-doutorado da FAPESP e professor no IFUSP, antes de se mudar para os Estados Unidos.

O HARP CubeSat, como é chamado,

Plataforma audiovisual da Fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é um dos mais importantes espaços de criação audiovisual em saúde da América Latina. Seus acervos, distribuídos em diferentes unidades, possuem milhares de vídeos. São documentários, programas de debate, entrevistas, reportagens, filmes educativos, animações e outros tipos de materiais que lançam luz a temas das ciências e da saúde pública. Agora, grande parte desses acervos estão reunidos num único lugar: a página Produção Audiovisual do Portal Fiocruz. Um projeto criado e desenvolvido pelo Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict/Fiocruz).

Até o fechamento desta matéria, a página agrupava quase 5 mil títulos, todos eles em acesso aberto, ou seja, disponíveis a qualquer internauta. Esse número, porém, cresce a cada dia.

Manta de nanofibras de óxido de titânio

Nanofibras de óxido de titânio (TiO2) podem ter várias aplicações, como o uso em catalisadores e filtros. Sob a incidência de luz ultravioleta, o óxido de titânio promove a degradação de material orgânico. Daí sua aplicabilidade em filtragem, por exemplo, de água de reúso.

Um novo método de fabricação dessas fibras foi desenvolvido por Rodrigo Savio Pessoa e Bruno Manzolli Rodrigues, pesquisadores do Laboratório de Plasmas e Processos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (LPP-ITA) e do Instituto Científico e Tecnológico da Universidade Brasil (ICT-UB), no âmbito de um projeto apoiado pela FAPESP. Artigo a respeito foi publicado na revista Materials Today: Proceedings.

“A técnica usada, de deposição por camada atômica, permite promover o crescimento do

Química Medicinal

O Centro de Química Medicinal (CQMED) iniciou um projeto em parceria com a empresa de biotecnologia Promega para o desenvolvimento de fármacos que possam ser usados contra parasitas.

Sediado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o CQMED é uma Unidade de Inovação da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). O centro foi criado com apoio da FAPESP por meio do Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE), em cooperação com o Structural Genomics Consortium (SGC) – consórcio internacional de universidades, governos e indústrias farmacêuticas para acelerar o desenvolvimento de novos medicamentos.

Segundo o CQMED, a plataforma montada durante o projeto PITE-FAPESP, denominada “Do gene a sondas químicas”, que

Caverna do Diabo

A Caverna do Diabo, localizada no município de Eldorado (SP), no Vale do Ribeira, é a primeira do Brasil a ser mapeada em três dimensões para fins de pesquisa e divulgação.

O modelo 3D da caverna é resultado de uma pesquisa realizada no Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE-USP) com apoio da FAPESP.

Os pesquisadores utilizaram escâneres que disparam feixes de laser e geram nuvens de pontos, que depois são unidas em computadores de alta performance. O conjunto resultante é um modelo em três dimensões do ambiente, permitindo uma visão detalhada da caverna.

“A Caverna do Diabo é muito importante no Brasil por ser a primeira no país com estrutura