3º Simpósio Internacional de Imunobiológico

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos / Fiocruz) realiza de 2 a 5 de maio, no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro, o 3º Simpósio Internacional de Imunobiológicos. O evento, que marca as comemorações de 40 anos do Instituto, reúne especialistas para abordar os mais atuais e importantes desafios para saúde pública global. A definição do modelo animal para o desenvolvimento de uma vacina para zika que possa ser testada em humanos a partir de 2018, projeto que conta com a participação de Bio-Manguinhos, será apresentada. 

As perspectivas para superar a resistência aos antibióticos, uma “ameaça global à saúde pública”, segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), serão apresentadas por Antoine Andremont, consultor científico do Grupo de Vigilância Integrada de Resistência Antimicrobiana (AGISAR) da OMS e da Iniciativa em Resistência Antimicrobiana da União Europeia (UE). 

O papel da Fundação Bill & Melinda Gates no desenvolvimento de vacinas para países em desenvolvimento será apresentado pela Diretora de Desenvolvimento de Vacinas da entidade, Katey Owen. Em parceria com a Fundação, Bio-Manguinhos desenvolve vacina dupla viral (sarampo e rubéola). O produto acaba de passar por testes de fase I em seres humanos, com resultados positivos, e será a primeira vacina brasileira desenvolvida especialmente para exportação, a países africanos. 

O desafio dos produtores de vacina dos países em desenvolvimento será abordado pelo assessor e consultor para formação de mercados do GAVI Alliance, Michael Clark. A Aliança une a UNICEF, a OMS, o Banco Mundial e governos tanto de países em desenvolvimento quanto de países doadores.  

A formação, atual estágio e desafios dos diferentes programas de vacinação implementados pelos estados nacionais serão abordados por Jon Andrus, vice-presidente executivo do Instituto Sabin e ex-diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). 

Em sua abertura, o evento contará com a participação do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha; do diretor de Bio-Manguinhos, Artur Couto; e do assessor científico sênior do Instituto, Akira Homma, eleito uma das 20 maiores personalidades internacionais na área de vacinas. 

Outros temas, como Arboviroses emergentes: Chikungunya e Zika, Nanotecnologia aplicada a imunobiológicos, Tecnologias inovadoras no desenvolvimento de novas vacinas, Novas abordagens para a regulação de auto-testes de HIV, Adjuvantes, Anticorpos monoclonais HIV, Micro e Nano tecnologia para diagnósticos, Política de Inovação e o Novo Marco Legal da C, T & I, serão abordados durante o evento. A programação completa pode ser acessada no hotsite do evento: simposio.bio.fiocruz.br 

Trabalhos voltados a novos produtos e serviços 

Além das palestras e debates, um grupo de 16 trabalhos foi selecionado para ter apresentação oral durante o evento. Eles se destacam por retratar a recente produção científica e atuais desafios do setor para o desenvolvimento de vacinas, biofármacos, reativos para diagnósticos, gestão na indústria farmacêutica e outros temas relacionados. 

Desses trabalhos, os três melhores receberão os Prêmios Oswaldo Cruz (1º lugar); Carlos Chagas (2º lugar); e Alcides Godoy (3º lugar). Além desses, três prêmios serão oferecidos para o melhor trabalho de Jovem Talento Científico (até 26 anos de idade): Prêmio Henrique de Azevedo Penna, Prêmio Evandro Chagas e Prêmio Sérgio Arouca.

3º Simpósio Internacional de Imunobiológicos

Data: 2 a 5 de maio
Local: Centro de Convenções SulAmérica - Cidade Nova, Rio de Janeiro.
Informações: simposio.bio.fiocruz.br

Paulo Schueler
Bio-Manguinhos/Fiocruz

Pin It