Flávia Lima Ribeiro-Gomes recebeu o diploma pelas mãos do Presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) nomeou seus novos membros afiliados, que participarão, junto aos demais membros titulares da ABC, de discussões e atividades científicas de alta importância. Dentre os 24 cientistas que passaram a integrar a Academia, está a pesquisadora Flávia Lima Ribeiro-Gomes, do Laboratório de Pesquisa em Malária do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), diplomada na área de Ciências Biomédicas.

“Eu estou muito honrada por ser um dos novos membros afiliados da Academia Brasileira de Ciências. A convivência com os demais pesquisadores, sem dúvida, solidificará ainda mais a minha carreira. Também estou ciente do meu papel, no qual estarei contribuindo com meus conhecimentos nas discussões, além de divulgar a ciência e a tecnologia para a sociedade, garantindo a vitalidade da Academia”, comemora a pesquisadora, que atuará na entidade até 2020.

No evento de posse realizado no final de junho, a pesquisadora apresentou uma das pesquisas que desenvolve nas bancadas do Laboratório, referência nacional para o diagnóstico de malária na região da Extra-Amazônia. Flávia se dedica ao estudo da resposta imune em infecções parasitárias. “Eu trabalho com doenças negligenciadas e meu foco de estudo sempre foi a imunoparasitologia. Para este trabalho, eu analisei os eventos iniciais da resposta imune, chamada de resposta imune inata, durante a infecção com os parasitos Leishmania e Plasmodium, causadores das Leishmanioses e Malária, respectivamente”, explicou.

A jovem pesquisadora aproveitou a ocasião para convidar os novos cientistas a participarem desse renomado grupo. “Essa é uma categoria nova na ABC, voltada aos jovens pesquisadores. Isto mostra que a Academia não está distante de nós e que tem interesse em nos ouvir. Temos de conquistar este espaço”, acrescentou.

A Academia Brasileira de Ciências é uma entidade que atua como sociedade científica honorífica e contribui para o estudo de temas de primeira importância para a sociedade, visando dar subsídios científicos para a formulação de políticas públicas. Desde 2008, membros titulares da Academia encaminham, anualmente, nomes para a Comissão de Seleção de sua respectiva região, que fica encarregada de avaliar currículo e a qualidade das publicações dos cientistas e, assim, selecionar os novos membros afiliados da ABC. Para esta categoria, os pesquisadores devem ter menos de 40 anos.

Max Gomes
IOC/Fiocruz

Pin It