A coordenação do Programa Pesquisa em Biodiversidade (BIOTA) FAPESP divulgou documento convidando pesquisadores da área a participar do programa que visa ampliar o conhecimento biológico e químico da fauna, da flora e dos microrganismos de ambientes terrestres, dulciaquícolas e marinhos, bem como avaliar as possibilidades de exploração sustentável e restauração da diversidade.

Criado em 1999, o BIOTA FAPESP já implementou 280 projetos – 60 estão em andamento –, publicou cerca de 2 mil trabalhos em periódicos indexados e 25 livros e treinou 924 alunos de iniciação científica, mestres, doutores e pós-doutores.

O programa transferiu o resultado desse conhecimento para o setor público – o BIOTA é citado em 23 Leis, decretos e resoluções no Estado de São Paulo – e privado – o BIOprospecTA já tem quase uma dezena de patentes.

Os pesquisadores participantes têm oportunidade de participar de minicursos e palestras com convidados do Brasil e do exterior, de workshops e cursos em áreas específicas de interesse e de projetos interdisciplinares, além de participar de chamadas conjuntas do Programa BIOTA com parceiros internacionais como as agências de fomento norte-americanas National Science Foundation (NSF), por meio do Programa Dimensions of Biodiversity, e o National Institute of Health (NIH), e com a Natural Environmental Research Council (NERC), do Reino Unido.

Para mais informações sobre o programa acesse a página do BIOTA-FAPESP no endereço www.biota.org.br.

Agência FAPESP

Pin It