Ciência

pirarucu

Por meio de um projeto colaborativo, cientistas brasileiros e alemães sequenciaram e analisaram o genoma do pirarucu (Arapaima gigas), espécie amazônica que se destaca pelo gigantismo e que apresenta a mais alta taxa de crescimento conhecida entre os peixes de água doce.

O trabalho levou a descobertas que poderão facilitar a sexagem dos animais ainda alevinos, facilitando a seleção de espécimes para a formação de plantéis e o comércio de lotes específicos de cada sexo, além, é claro, de abrir caminho para estudos que visam o melhoramento genético da espécie.

Resultados da pesquisa, apoiada pela FAPESP, foram divulgados na revista Scientific Reports.

A colaboração começou em 2015, quando o geneticista alemão Manfred Schartl, da Universidade

fluxo de calor

O calor flui dos objetos quentes para os frios. Quando um objeto quente entra em contato térmico com um frio, ambos evoluem para uma configuração de equilíbrio. O quente esfria e o frio esquenta. Esse é um fenômeno da natureza constatado pela experiência diária e explicado pela segunda lei da termodinâmica. Segundo essa lei, a entropia de qualquer sistema isolado tende sempre a aumentar com o tempo, até alcançar um valor máximo. A entropia é a grandeza que descreve o grau de indiferenciação de um sistema. Os sistemas isolados evoluem espontaneamente para estados cada vez mais indiferenciados.

Um experimento, conduzido por pesquisadores da Universidade Federal do ABC (UFABC) e do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas

Laboratório

Um feito inédito na ciência mundial. Em apenas 15 dias, um projeto itinerante de sequenciamento genético liderado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) gerou 126 genomas completos de vírus responsáveis por grandes surtos no país, sendo 69 de dengue, 34 de chikungunya e 23 de zika. As amostras são provenientes de pacientes infectados na região Centro-Oeste do país. A equipe também coletou mais de 2.700 mosquitos de 19 espécies, em sua maioria, Aedes aegypti, Aedes albopictus e Culex quinquefasciatus. Os insetos estão sendo analisados. Os especialistas integram o projeto Zibra 2: mapeamento genético do zika e outros arbovírus no Brasil, que conta com o financiamento do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) e da Secretaria de Vigilância

genética

Academias médicas e de ciência em todo o mundo se uniram para formar uma comissão internacional de especialistas que vai analisar e propor regras relacionadas à aplicação clínica da edição genética em humanos. A International Commission on the Clinical Use of Human Germline Genome Editing tem o objetivo de desenvolver critérios científicos, médicos e éticos, caso a tecnologia seja considerada aceitável pela sociedade.

A nova comissão inclui representantes de 10 nações e será secretariada por National Academy of Sciences, National Academy of Medicine e Royal Society. A comissão é uma convocação da National Academy of Sciences e da National Academy of Medicine (ambas dos EUA) e da Royal Society, do Reino Unido, e deve levar

Agricultoras

Seis cultivares de feijão lançadas pela Embrapa e parceiros trouxeram a pequenos agricultores do município de Jequitibá (MG), a 100 quilômetros de Belo Horizonte, a possibilidade de produzir em escala e com estabilidade para atender ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que distribui o produto para a elaboração de merenda em estabelecimentos de ensino da região metropolitana da capital mineira.

Os produtores não conseguiam atender à demanda das escolas porque a produtividade das lavouras era insuficiente e grande parte deles não tinha experiência na cultura do feijão, eram plantadores de frutas ou hortaliças. O sucesso na adoção das cultivares na região foi tão grande que a produção já comercializada para o PNAE alcançou 34,5 toneladas

Testes de qualidade da borracha

Pesquisadores da Embrapa Instrumentação (SP) auxiliam na seleção de clones de seringueira avaliando as qualidades técnicas de seu principal produto: a borracha natural. Os especialistas testam diversas propriedades da borracha fabricada com o látex de cada clone e selecionam aqueles que geraram produtos de melhor desempenho para a indústria.

Os resultados auxiliam programas de melhoramento genético a desenvolver clones de seringueira com alto valor agregado. Entre as linhas de pesquisa empregadas no trabalho está até a nanotecnologia, estudo em escala molecular que trabalha em dimensões cem mil vezes menores que o milímetro, também usada para o desenvolvimento de novos materiais a partir da borracha.

O trabalho científico contribuiu para a identificação de 41 novas plantas

satélites

Pesquisadores do Estado de São Paulo vão integrar um consórcio internacional que visa o lançamento de pequenos satélites de observação da Terra. A expectativa é que o conjunto de equipamentos – menores do que caixas de sapato – forme uma rede de sensores em órbita capaz de fornecer imagens 3D de alta qualidade sobre o relevo terrestre, a formação de nuvens e seu conteúdo.

Graças à tecnologia espacial, grandes satélites multifuncionais giram ao redor da Terra, possibilitando o funcionamento da internet, do GPS e a observação terrestre. No entanto, satélites menores e capazes de trabalhar em conjunto vêm ganhando força recentemente. Eles permitem a troca de informações com o solo de maneira mais eficiente e

crânios em 3D

Crânios de duas espécies de primatas já extintas – Caipora bambuiorum e Cartelles coimbrafilhoi – foram examinados por tomografia computadorizada e reconstruídos em imagens tridimensionais por um grupo que reúne cientistas de diversos países. Foram usados no trabalho fósseis encontrados há quase 30 anos no fundo de uma gruta da Caatinga, no norte da Bahia.

As imagens foram comparadas com as de outros 14 primatas do Novo Mundo ainda viventes, o que permitiu descobrir adaptações e inferir relações até então desconhecidas daquelas duas espécies extintas com os macacos que atualmente habitam as matas das Américas do Sul e Central, além do Caribe.

“Pela primeira vez, foi conduzido um estudo da morfologia endocraniana [formato do interior

tomografia computadorizada

Cientistas da Embrapa Pesca e Aquicultura (TO) estão empregando equipamentos de medicina, como endoscópios e tomógrafos computadorizados, para pesquisar o pirarucu (Arapaima gigas). As tecnologias auxiliam a descobrir o grau de maturação das células sexuais das fêmeas e gerar imagens inéditas em 3D do maior peixe nativo do Brasil.

O trabalho foi publicado no periódico Copeia da Sociedade Americana de Ictiologia e Herpetologia. Trata-se de um importante passo para o domínio da reprodução do pirarucu em cativeiro e para o conhecimento de sua morfologia e fisiologia, áreas em que há muitas lacunas. Com a aplicação das técnicas da medicina, será possível identificar o sexo do peixe a um custo muito mais baixo que o dos

erva-mate

Um trabalho importante da pesquisa vai permitir, pela primeira vez no Brasil, que cultivares de erva-mate (Ilex paraguariensis) sejam legalmente protegidas. Os cientistas organizaram e publicaram os chamados descritores mínimos da planta, uma série de características técnicas que servem para a identificação de cultivares e evidenciam as diferenças entre elas.

Com esse avanço, instituições, produtores e empresas interessadas em desenvolver trabalhos de melhoramento genético com a espécie passam a ter maior segurança jurídica ao gerar novas cultivares.

“A publicação dos descritores pode impulsionar novas pesquisas com a espécie”, analisa Ricardo Zanatta Machado, coordenador do Serviço Nacional de Proteção de Cultivares do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “A possibilidade de proteção é um estímulo

Fiocruz

"A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por prezar pela transparência e em razão de seu compromisso com a sociedade brasileira, vem a público prestar alguns esclarecimentos sobre o 3° Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira, pesquisa realizada pela Fundação a partir de edital público lançado, em 2014, pela Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad), órgão ligado ao Ministério da Justiça.

A pesquisa teve início ainda em 2014 e se estendeu até o final de 2017, quando foi enviado à Senad relatório completo com os resultados previstos em edital de licitação. Ao todo, o projeto envolveu cerca de 500 profissionais de diferentes áreas, dentre entrevistadores de campo, pesquisadores da área de epidemiologia