Ciência

sepse

Estudo realizado por um grupo internacional de pesquisadores provocou uma reviravolta no entendimento sobre doenças inflamatórias potencialmente fatais como, por exemplo, a sepse. O trabalho apontou um agente bioquímico possivelmente envolvido na rápida diminuição da pressão arterial que ocorre no estágio avançado da doença – e costuma causar a morte do paciente. A descoberta pode abrir caminho para novas abordagens terapêuticas.

Principal causa de morte nas unidades de terapia intensiva (UTIs) brasileiras – com taxa de letalidade em torno de 50% – a sepse é decorrência de uma resposta desregulada do sistema imune a um agente infeccioso. Por motivos ainda não muito claros, as células de defesa passam a atacar não apenas o patógeno, mas

Dispositivo criado por pesquisadores

As pessoas com doença celíaca enfrentam o desafio de assegurar que suas dietas sejam totalmente isentas de glúten, proteína presente em cereais como trigo, centeio, cevada e malte. Isso porque, além de o nutriente integrar várias matrizes de alimentos, em diferentes formas e proporções, mesmo os produtos declarados livres de glúten podem apresentar contaminação cruzada e provocar reações no organismo.

Um biossensor óptico em escala nanométrica (da bilionésima parte do metro), desenvolvido por pesquisadores do Instituto Catalão de Nanociência e Nanotecnologia (ICN2), da Universidade Autônoma de Barcelona, na Espanha, pode ajudar os celíacos a evitar consumir glúten inadvertidamente.

O dispositivo é capaz de detectar em uma amostra de urina a presença de um dos principais

Cristiani Machado

Março foi um mês intenso na Fiocruz: a instituição aderiu, pela primeira vez, ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, abriu o ano letivo com conferência internacional sobre o papel de mulheres e jovens, lançou editais de incentivo para docentes, pesquisadores e alunos, acolheu estudantes brasileiros e de diversas nacionalidades. À frente destas iniciativas na vice-presidência de Educação, Informação e Comunicação (Vpeic/Fiocruz) está a professora, pesquisadora, editora e médica Cristiani Machado. Ela traz para a gestão sua experiência como doutora em saúde coletiva e membro do Conselho Deliberativo da Abrasco, pós-doutora em ciência política e coordenadora do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz).

Nesta

microrganismos

Em artigo publicado na revista ACS Infectious Diseases, pesquisadores brasileiros descreveram o mecanismo de ação bactericida da violaceína – pigmento violeta produzido por bactérias ambientais, especialmente as da espécie Chromobacterium violaceum.

Segundo os autores do estudo, a substância tem como alvo a membrana citoplasmática de bactérias, afetando principalmente as do tipo gram-positivas, como as dos gêneros Streptococcus, Enterococcus e Listeria. Entre as diversas atividades biológicas já relatadas para o composto, está a capacidade de destruir esses microrganismos – mesmo os que já se tornaram resistentes aos antibióticos hoje disponíveis na clínica.

A investigação foi conduzida com apoio da FAPESP pelos grupos de pesquisa coordenados por Frederico Gueiros-Filho, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo

linfócito T humano

Um grupo internacional de pesquisadores, com participação brasileira, identificou duas mutações genéticas aparentemente responsáveis por 60% dos casos de um raro tipo de linfoma, conhecido como SPTCL (linfoma das células T subcutâneo similar à paniculite, na sigla em inglês).

As alterações ocorrem em um checkpoint – gene codificador de proteínas que modulam o sistema imune – e estão presentes justamente nos casos mais agressivos da doença. A descoberta, publicada na Nature Genetics, liga pela primeira vez a causa de uma doença a alterações em um checkpoint.

Atualmente, a intervenção farmacológica em checkpoints é considerada o maior avanço no tratamento do câncer das últimas décadas. No entanto, a constatação de que uma alteração genética nesse tipo

biomassa

A Organização Holandesa para a Pesquisa Científica (NWO) lançou uma nova chamada de propostas para apoiar pesquisas sobre a conversão de biomassa.

A chamada Value from Biomass tem foco na transição de uma economia baseada em recursos fósseis para uma economia baseada em alternativas sustentáveis. Serão selecionados projetos que apresentem pesquisa científica básica, porém com teor inovador, possibilitando soluções socialmente relevantes no campo da conversão de biomassa.

As propostas devem ser apresentadas por consórcios multidisciplinares de pesquisadores e de empresas. O pesquisador responsável deve estar ligado a uma universidade ou instituto de pesquisa holandês, reconhecido pela NWO.

Como um dos objetivos da chamada é estimular a cooperação internacional, pesquisadores do Brasil, incluindo o Estado de

Syndactyla rufosuperciliata

As florestas tropicais dos Andes e a Mata Atlântica estão separadas por quase mil quilômetros de áreas mais secas e de vegetação aberta, nos biomas Chaco, Cerrado e Caatinga. Apesar de atualmente não terem conexão, essas florestas tropicais compartilham espécies e linhagens intimamente relacionadas, o que sugere ter havido uma ligação entre essas matas no passado. Há, por exemplo, 23 espécies de aves tropicais presentes nos dois biomas.

Diversos estudos publicados reforçam tal hipótese. O que ainda não se sabia era se a ligação se dava por meio das florestas de galeria que, no passado, acompanhavam os cursos dos rios na região do Chaco (que abrange o sul da Bolívia, o norte da Argentina e

pesquisadores do grupo italiano

O microbioma, conjunto de microrganismos presentes no intestino, pode ser usado para prever a ocorrência do câncer colorretal – o segundo tipo mais frequente em mulheres e o terceiro entre os homens.

Uma pesquisa feita por uma equipe internacional, com participação brasileira, identificou padrões no microbioma intestinal – que independem da cultura alimentar das populações estudadas – e detectou associação entre alterações nesse padrão e a ocorrência de câncer colorretal. A descoberta abre caminho para o desenvolvimento de exames não invasivos capazes de prever a ocorrência da doença.

O estudo, publicado nesta segunda-feira (01/04) na revista Nature Medicine, tem como primeiro autor Andrew Maltez Thomas, doutor em Bioinformática pela Universidade de São Paulo (USP), e

Elliot Watanabe Kitajima

Uma nova família de vírus – a Kitaviridae – foi identificada e nomeada em homenagem ao professor Elliot Watanabe Kitajima, que atua no Departamento de Fitopatologia e Nematologia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP).

Engenheiro agrônomo formado na Esalq em 1958, Kitajima concluiu o doutorado em 1967, também na USP. Foi pesquisador no Instituto Agronômico de Campinas (IAC), professor na Universidade de Brasília (UnB) e voltou para a Esalq, onde se aposentou em 2006 e atualmente atua como professor convidado (servidor voluntário).

O vírus integrante da nova família foi identificado durante os trabalhos do Projeto Temático “Vírus de plantas transmitidos por Brevipalpus (Acari: Tenuipalpidae) - VTB: levantamento,

calendário

Pesquisadores da Embrapa criaram uma solução simples para sanar a falta de dados sobre a coleta familiar em açaizais nativos no norte do País, que é feita geralmente em locais de difícil acesso. O grupo do engenheiro florestal Marcelino Guedes, da Embrapa Amapá, adaptou um calendário de parede para que as próprias famílias ribeirinhas possam anotar, diariamente, quanto açaí coletam e a quantidade consumida. Com a ferramenta simples, os pesquisadores descobriram, por exemplo, que algumas famílias grandes costumam consumir mais do que vender o fruto e que o consumo médio gira em torno de pouco mais de 20% do total coletado na região estudada.

A falta de dados sempre foi um desafio para os pesquisadores

Palma de óleo

O caiaué - Elaeis oleifera (Kunth), Cortes - , planta nativa das Américas do Sul e Central, é a aposta de cientistas brasileiros para aprimorar a qualidade e a durabilidade do óleo de dendê (Elaeis guineensis, Jacq.), palmácea originária da África e principal fonte mundial de óleo vegetal. As duas espécies possuem o mesmo gênero e são capazes de cruzar entre si, produzindo descendentes férteis.

O objetivo dos pesquisadores é desenvolver, por meio de melhoramento genético, materiais híbridos capazes de apresentar as melhores características de cada uma das espécies: o alto rendimento de polpa do dendê e a ótima qualidade do óleo obtido do caiaué. Principal produto da cultura, o óleo serve como matéria prima para diversos