Ciência

interação entre éxcitons e fônons

Energia é informação. Estender o intervalo de tempo no qual um sistema é capaz de reter energia, antes de perdê-la para o meio, constitui um objetivo fundamental para o desenvolvimento da informação quântica. Esse intervalo é denominado “tempo de coerência”. E vários estudos têm sido realizados com o objetivo de retardar o processo de decoerência.

Um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Física Gleb Wataghin da Universidade Estadual de Campinas (IFGW-Unicamp), em parceria com colegas do Departamento de Física da University of Michigan, nos Estados Unidos, e do Instituto Avançado de Nanotecnologia da Sungkyunkwan University, na Coreia do Sul, buscou entender o processo de decoerência na escala de tempos de femtossegundos (10-15 s). Artigo

gado

O período seco do ano, e a consequente queda na qualidade das pastagens, afeta consideravelmente a produtividade do gado no Brasil. Tal fato, somado a um cenário de mudanças climáticas, torna cada vez mais necessária a seleção de animais resistentes a variações nas condições ambientais.

Em um artigo publicado na revista Genetics Selection Evolution, pesquisadores do Brasil e da Austrália chegaram mais perto de responder a esse desafio.

Os cientistas encontraram 16 genes potencialmente associados com a resistência do gado Nelore – principal raça para a produção de carne no Brasil – a variações climáticas que afetam o ganho de peso. Os genes candidatos estão relacionados a processos biológicos como regeneração e diferenciação celular, resposta

livros

A Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) lançou o Guia de Boas Práticas Científicas, com informações concisas e organizadas sobre ética na pesquisa, compromisso social, responsabilidade, propriedade intelectual, publicação e integridade científica.

A obra também oferece indicações de sites e publicações para os interessados em se aprofundar no assunto. O guia é voltado tanto para jovens pesquisadores como para os orientadores, que podem usá-lo como material de referência.

O Guia de Boas Práticas Científicas é a terceira de uma série de publicações elaboradas pela Pró-Reitoria de Pesquisa para divulgar informações importantes para os pesquisadores.

A primeira publicação da série foi o Guia para a Iniciação Científica e Tecnológica, voltado a alunos de

12-HEPE

Pesquisadores do Brasil, Estados Unidos e Alemanha descobriram que uma substância produzida pelo tecido adiposo marrom quando o corpo é submetido a baixas temperaturas – o lipídeo 12-HEPE – ajuda a reduzir os níveis de glicose no sangue. Os resultados dos experimentos com camundongos abrem caminho para novos tratamentos contra o diabetes.

O grupo também observou, em pacientes humanos, que um medicamento usado no tratamento de disfunção urinária aumenta a liberação desse lipídeo na corrente sanguínea.

O estudo, publicado na revista Cell Metabolism, tem como primeiro autor Luiz Osório Leiria, pesquisador do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (IB-Unicamp).

O trabalho foi desenvolvido como parte de seu pós-doutorado na Faculdade de Ciências Médicas

Centro de Terapia Celular

Capazes de originar diferentes tecidos do corpo humano, as células-tronco embrionárias (CTEs) passaram a representar, na virada do século, uma esperança de tratamento para diversas condições de saúde. Mas, à medida que as pesquisas avançaram, percebeu-se que entender e controlar o comportamento dessas células seria um desafio maior que o imaginado inicialmente.

Estudos mostraram que uma mesma população de CTEs pode ser bastante heterogênea e que o potencial de pluripotência, ou seja, de se diferenciar nos mais diversos tipos celulares, poderia variar entre as células oriundas de um mesmo embrião e ainda mais entre diferentes linhagens. Descobriu-se, posteriormente, que, na medida em que a diferenciação avança, se altera no interior das células-tronco o nível de

Relatório

A FAPESP investiu, em 2018, R$ 1.216.750.480 no apoio a 24.720 projetos de pesquisa distribuídos por todas as áreas do conhecimento. O desembolso foi 15% maior que o registrado em 2017, em valores nominais, e 6% superior descontada a inflação, quebrando uma trajetória de queda do investimento iniciada em meados da década em decorrência da desaceleração da economia. A verba da Fundação é composta por 1% da receita tributária do Estado de São Paulo, repassada pelo Tesouro, conforme determina a Constituição paulista de 1989, e por recursos provenientes de convênios com instituições e empresas para financiamento conjunto de pesquisas.

O balanço consta do Relatório de Atividades FAPESP 2018, divulgado em agosto, cuja íntegra está disponível

Materiais Funcionais

Um novo material com propriedades antifúngicas e antitumorais foi desenvolvido por pesquisadores do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP com sede na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

O compósito foi obtido a partir de uma amostra de tungstato de prata (α-Ag2WO4) puro irradiado com elétrons e com feixes de laser com pulsos na escala do femtosegundo – quadrilionésimo de segundo, a escala na qual ocorrem reações químicas, com trocas de elétrons entre átomos e moléculas. A descrição do novo material foi publicada na revista Scientific Reports.

O uso cada vez maior de semicondutores desencadeou uma onda de desenvolvimento de novos materiais com ampla

Núcleo de Pesquisa

Usado amplamente no combate a cólicas menstruais, o anti-inflamatório ácido mefenâmico mostrou eficácia no tratamento da esquistossomose.

Em experimentos feitos na Universidade Guarulhos, com apoio da FAPESP, o medicamento reduziu em mais de 80% a carga parasitária em camundongos infectados com o verme Schistosoma mansoni. O índice ultrapassa o chamado padrão-ouro estipulado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para novos medicamentos.

Os resultados da pesquisa, publicada na revista EbioMedicine, do grupo Lancet, sugerem que o ácido mefenâmico pode ser mais eficiente do que o único medicamento existente para a doença, o praziquantel. Mas, para que o anti-inflamatório seja receitado contra a esquistossomose, será necessária a realização de testes em humanos com a verminose.

A descoberta

laboratório de pesquisa

Um grupo internacional de pesquisadores comprovou que uma molécula denominada TCMDC-135051 é capaz de inibir seletivamente uma proteína essencial para o ciclo de vida do Plasmodium falciparum, uma das espécies causadoras da malária.

Os resultados do estudo, publicados nesta sexta-feira (30/8) na Science, abrem caminho para o desenvolvimento de um novo fármaco contra a doença, que tem 200 mil novos casos e mata quase meio milhão de pessoas no mundo anualmente. Um dos obstáculos para a erradicação da malária, atualmente, é o fato de o parasita ter adquirido resistência aos medicamentos existentes.

Entre os autores estão integrantes do Centro de Química Medicinal (CQMED), sediado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), sob a coordenação do professor

São Paulo School of Advanced Science on Nonlinear Dynamics

O trabalho de matemáticos em um campo de estudos emergente, chamado sistemas dinâmicos, tem ajudado engenheiros a entender melhor efeitos como a vibração em uma ponte ao longo do tempo ou a relação entre o petróleo obtido de águas profundas e os dutos marítimos pelos quais percorre até chegar à superfície, por exemplo. Dessa forma, tem permitido projetar estruturas melhor adaptadas a fenômenos que podem ocorrer durante o funcionamento.

Alguns dos principais pesquisadores dessa área relativamente nova da Matemática estiveram reunidos, entre os dias 29 de julho e 9 de agosto, na São Paulo School of Advanced Science on Nonlinear Dynamics, na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

Durante o encontro, realizado com

Pesquisa de psicologia e memória

Pesquisa da USP, em Ribeirão Preto, fará testes com pessoas de 18 a 35 anos

Em Ribeirão Preto, um estudo no Laboratório de Psicologia Cognitiva da USP pretende relacionar os efeitos da memória de trabalho visual na memorização de longo prazo. Para sua realização, o projeto está recrutando voluntários de idade entre 18 e 35 anos para completar testes. Eles serão realizados em frente a um monitor para completar tarefas de memória visual com caracteres chineses. A participação é única e deve durar menos de uma hora.

Jean Marques, autor da pesquisa, explica que o objetivo é investigar como estímulos visuais inéditos ou familiares são codificados e recuperados na memória de curto prazo. “A justificativa