Ciência

Fiocruz Bahia

Em balanço das atividades de 2016, apresentado pelo diretor da unidade, Manoel Barral Netto, a Fiocruz Bahia teve 161 artigos científicos publicados, sendo 16 sobre zika, o que demostra  o envolvimento da unidade na resolução do problema identificado como emergência em saúde pública no país.  O resultado, contabilizado até o momento, representa um incremento de 28% em relação ao ano anterior, quando foram publicados 125 trabalhos. Outra conquista recente foi a publicação, no Diário Oficial da União, em 14 de dezembro, que formaliza a Fiocruz Bahia como Instituto de Pesquisa (IGM), ampliando sua missão e as possibilidades de atuação.

Estas informações foram apresentadas na reunião de final de ano,

 astronomia

A FAPESP quer estreitar relações com instituições chilenas para ampliar os esforços de pesquisa em áreas estratégicas. “Nossas parcerias científicas continuam fortemente centradas em instituições dos Estados Unidos e da Europa Ocidental. Precisamos nos aproximar mais dos países vizinhos da América do Sul”, afirmou José Goldemberg, presidente da FAPESP.

As afinidades científicas entre o Brasil e o Chile estiveram em pauta no Workshop FAPESP-Conicyt, em 7 de dezembro de 2016 na sede da instituição. Conicyt é a Comisión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica, do Chile, e o encontro foi projetado exatamente para estimular novas colaborações entre pesquisadores brasileiros e chilenos nas áreas de astronomia, oceanografia, agroindústria e nanotecnologia.

doencas cardiovasculares

Estudos desenvolvidos em laboratório da Unicamp trazem novas revelações a respeito dos efeitos da obesidade entre crianças e adolescentes

Atenção, adolescentes! Dormir menos que oito horas diárias pode ser um fator de risco para doenças cardiovasculares futuras. O start de tudo é a resistência à insulina. Depois vêm o ganho de peso, o diabetes e outros fatores. O alerta é de Bruno Geloneze, professor e endocrinologista da Unicamp que atua no Gastrocentro e que lidera um grupo de pesquisa multicêntrico batizado Brazilian Metabolic Syndrome Study (Brams).

“Alguns adolescentes estão ficando acordados de madrugada porque inacreditavelmente estão estressados, e não porque estão felizes. E dormir menos leva a uma piora

Laranja

Uma das frutas mais consumidas no Brasil e no mundo, a laranja pode tornar-se geneticamente mais tolerante a doenças.

Um grupo de pesquisadores do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Genômica para o Melhoramento de Citros (INCT Citros) – um dos INCTs apoiados pela FAPESP e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) no Estado de São Paulo – pretende transferir para a laranja genes de tangerinas e de outros citros relacionados à resistência a doenças.

Resultado do Projeto Temático “Plataforma genômica aplicada ao melhoramento de citros”, apoiado pela FAPESP por meio de um convênio com o CNPq para o apoio a INCTs no Estado de

Protese

Engenheiro Emerson Moretto desenvolveu um técnica capaz de criar próteses auriculares de forma mais rápida e mais barata utilizando impressoras 3D

No coração do InovaLab@POLI, um laboratório multidisciplinar que oferece recursos avançados para projetos de engenharia, um projeto inovador que une tecnologia e medicina desenvolveu um novo método de elaboração de próteses auriculares e faciais utilizando impressão 3D.

Na dissertação de mestrado Elaboração de Próteses Auriculares Individualizadas Por Meio de Manufatura Apoiada Por Computador apresentada na Escola Politécnica (Poli) da USP, o engenheiro da computação Emerson Moretto, orientado pelo professor Marcelo Zuffo, desenvolveu uma técnica capaz de criar próteses auriculares de forma mais rápida e mais barata utilizando impressoras 3D.

bezerros

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (DF) apresenta ao mercado nesta terça-feira (29) a tecnologia denominada TIFOI (transferência intrafolicular de ovócitos imaturos). Trata-se de uma biotécnica que apresenta todas as vantagens da fecundação in vitro (FIV) com um benefício adicional: o fato de não precisar de laboratório para ser realizada. Os criadores podem obter os embriões com a mesma rapidez e agilidade da FIV, ou seja, em torno de um bezerro por semana a partir de uma única vaca doadora, sem precisar sair da sua fazenda.

O Brasil é o primeiro país a obter êxito realizando a TIFOI de maneira completa. Há apenas um relato de sucesso no uso

Memorias

Com aproximadamente 2,8 milhões de acessos na plataforma SciELO (Scientific Electronic Library Online), que indexa revistas científicas de acesso aberto de 14 países ibero-americanos, além da África do Sul, a revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz é a publicação científica brasileira mais acessada na área de ciências biológicas. O levantamento foi realizado pelo portal Ciência em Revista e corresponde ao período de setembro de 2015 a agosto de 2016

Pela primeira vez, o ranking considerou a divisão das revistas em oito áreas do conhecimento, conforme adotado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Entre os periódicos classificados em primeiro lugar, Memórias é o único editado no Rio

Celula solar perovskita

Pela primeira vez no Brasil, pesquisadores do Instituto de Química (IQ) da Unicamp produziram células solares de perovskita em laboratório. O material, que vem sendo pesquisado pela ciência desde a década de 1960, mas que apenas recentemente teve a aplicação voltada para a geração de energia elétrica a partir da luz solar, surge como alternativa potencialmente mais barata e eficiente ao silício, empregado atualmente em sistemas fotovoltaicos. O resultado foi obtido durante a pesquisa para a dissertação de mestrado do químico Rodrigo Szostak, que contou com a orientação da professora Ana Flávia Nogueira.

A preparação das células solares de perovskita no país tem dois aspectos importantes, como explica Szostak.

sensores

Uma nova fronteira da eletrônica, a bioletrônica – como é denominado o campo de pesquisa que visa combinar componentes eletrônicos e biológicos, de modo a desenvolver dispositivos implantáveis miniaturizados, capazes de alterar e controlar sinais elétricos no corpo humano –, tem atraído o interesse de empresas como o Google e a farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK). As duas multinacionais anunciaram recentemente uma joint venture para explorar essa área.

Um dos desafios para viabilizar o desenvolvimento desses dispositivos bioeletrônicos é identificar e possibilitar o uso de materiais que, além de apresentar condutividade eletrônica (à base de elétrons), também possuam condutividade iônica (à base de íons), em que está fundamentada a comunicação e

EBPC

O Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP) criou o Escritório de Boas Práticas Científicas (EBPC/ICB), associado ao Código de Boas Práticas Científicas, ambos aprovados pela Congregação do instituto em 6 de setembro de 2016.

Integram o EBPC/ICB os presidentes das Comissões de Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa e os Presidentes dos Comitês de Ética em Pesquisa com Seres Humanos e de Ética no Uso de Animais do ICB, informou a área de Comunicação Institucional do ICB.

Entre as atividades do escritório está previsto o oferecimento de treinamento, suporte, aconselhamento e divulgação sobre boas práticas científicas aos envolvidos no processo de produção de ciência no ICB, como

pesquisadores

A manhã do dia 9 de setembro de 2016 registrou um avanço na relação entre a comunidade científica e a sociedade civil: a doação de equipamentos para somar esforços à pesquisa sobre o zika no Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). A iniciativa partiu espontaneamente do empresário carioca Bruno Chateaubriand e da rede de restaurantes Manekineko, que, diante do surto de zika no país, resolveram reunir pessoas interessadas em apoiar os estudos. “Estávamos sendo bombardeados, diariamente, por notícias ruins sobre o vírus zika e sua relação com a microcefalia. Os Jogos Rio 2016 se aproximavam, o mundo estava voltado para o Brasil, e nós precisávamos fazer alguma coisa para ajudar no combate