esteta banner 960

dauridiogo

Saúde

semiarido

Pesquisadores da Fiocruz, junto a pesquisadores das universidades de Washington (EUA) e de Canberra (Austrália), lançaram um informe sobre vulnerabilidades, exposições, perigos e riscos para a saúde, resultante das secas para 1.135 municípios em nove estados do semiárido brasileiro (Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe). O estudo mostra que os municípios do semiárido têm condições menos favoráveis nas dimensões sociais, ambientais, econômicas e de saúde, quando comparados com os demais municípios do país. E ainda, dentro dos próprios estados, os municípios no Semiárido apresentam condições mais adversas que os municípios fora desta região, no mesmo estado.

(Confira o artigo na íntegra, em inglês)

"O estudo toma dados básicos e utiliza os conceitos de risco de desastre em função das exposições, das vulnerabilidades e dos perigos que enfrentam as comunidades no Semiárido, para construção de um índice com a finalidade de apoiar a tomada de decisões", comentou a pesquisadora Aderita Sena, autora principal do estudo. O projeto faz parte do trabalho do Observatório de Clima e Saúde da Fiocruz, liderado pelo pesquisador Christovam Barcellos. "A seca é um problema recorrente nessa região", afirma Barcellos, "mas a nossa preocupação é que as mudanças climáticas farão essa situação muito pior", acrescenta o pesquisador.

A situação das populações do semiárido é difícil, e programas de transferência de renda ajudam que as famílias suportem os meses mais difíceis sem migrar, evitando a desagregação do núcleo familiar. Neste sentido, "são importantes ações para a redução de vulnerabilidades e a construção de resiliencia, não somente voltadas para a população, mas também para o próprio setor da saúde", comenta a pesquisadora Aderita Sena.

Além dos pesquisadores citados, participaram da pesquisa Kristie Ebi, da Universidade de Washington (EUA), Carlos Machado de Freitas, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) e Carlos Corvalan, da Universidade de Canberra (Austrália).

PlosOne

diagnostico de cancer

A Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz), criou uma metodologia inovadora e inédita no mundo para o diagnóstico molecular no tratamento personalizado do câncer. Ao identificar, através de análises genéticas, o perfil molecular do tumor e do tecido saudável de cada indivíduo, poderá ser indicado o coquetel de medicamentos mais relevante para cada paciente, minimizando os efeitos colaterais.

Agenda Cultural

Workshops, palestras, seminários, conferências, congressos, shows, exposições e cursos na área Cultural

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
12
13
19
20
26
27
28
29
30
31

Parceiros

geralinks
linkirado atoananet